Iata: governo canadense precisa apoiar a aviação do país

|

Divulgação
Air Canada pode demitir 1700 funcionários devido a baixa demanda causada por restrições
Air Canada pode demitir 1700 funcionários devido a baixa demanda causada por restrições
Desde setembro, a International Air Transport Association (Iata) vem pedindo ao governo do Canadá flexibilizar suas fronteiras, inclusive criticando recentemente a adição do teste negativo para covid-19 à quarentena de 14 dias para entrar no país. Agora, com a possibilidade da Air Canada cortar 1,7 mil funcionários devido às baixas reservas atingidas pelas restrições, a entidade volta a pedir ajuda governamental à aviação canadense.

"O governo do Canadá precisa de um plano para apoiar essa indústria crítica. O transporte aéreo está em uma crise nunca vista antes. Ao mesmo tempo, seu valor ao conectar pessoas, apoiar empregos e distribuir produtos, como vacinas, nunca foi tão crucial", afirmou a Iata em sua conta no Twitter.

A mensagem está acompanhada de uma matéria do Financial Post sobre as possíveis demissões. De acordo com a reportagem, a Air Canada disse que cortará a capacidade do primeiro trimestre de 2021 em 25%, resultando em uma redução da força de trabalho de cerca de 1,7 mil funcionários. De acordo com a aérea, as mudanças em sua programação "refletem melhor a demanda esperada" e "reduzirão o consumo de caixa".

Até o momento, Allison St-Jean, assessora de imprensa do novo ministro dos Transportes do país, Omar Alhambra, foi a única a falar sobre o assunto em e-mail. “A covid-19 gerou uma situação sem precedentes no setor de aviação. Estamos totalmente apreensivos com a questão de quão duramente o setor aéreo foi atingido por causa da pandemia e estamos comprometidos em fornecer assistência ao setor aéreo do Canadá”, afirmou.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA