Latam passa a usar energia elétrica nas operações de solo em BH

|


Divulgação/Latam
Operações de solo da Latam irão usar energia elétrica e vai atender 100% dos voos da aérea em BH até 2023
Operações de solo da Latam irão usar energia elétrica e vai atender 100% dos voos da aérea em BH até 2023
Em 2021, a Latam assumiu o compromisso de ser mais sustentável, estabelecendo a meta de ser totalmente carbono neutro até 2050. Para caminhar em direção a este objetivo, a companhia anunciou mais uma prática verde, se tornando a primeira aérea no Brasil a utilizar 100% de energia elétrica em operações de solo.

A partir desta terça-feira (28), a operação de Ground Handling de pelo menos 50% dos voos da empresa em Belo Horizonte/Confins (o equivalente a dez voos diários atualmente) será totalmente realizada por equipamentos movidos a energia elétrica em vez de diesel de forma exclusiva.

A iniciativa fará a Latam deixar de emitir 114 toneladas de CO2 nos próximos 12 meses no aeroporto mineiro. Esse volume corresponde ao consumo equivalente de CO2 dos equipamentos movidos a diesel usados para atender a sua operação hoje.

“O nosso objetivo, junto com a BH Airport e com a Real, é que consigamos ter 100% das nossas operações no Aeroporto de Confins atendidas por essa tecnologia até o final de 2023. Além disso, temos o intuito de incentivar demais parceiros em outros aeroportos onde nós operamos aqui no Brasil a seguir esse caminho de sustentabilidade, trabalhando de forma gradativa a renovação dos nossos equipamentos”, disse o diretor de Aeroportos da Latam Brasil, Derick Barboza.

Enquanto a aérea apostou na exclusividade e priorização de parceiros que oferecem soluções mais sustentáveis para atender ao seu compromisso, a Real Aviation investiu na compra dos equipamentos de Ground Handling movidos 100% a energia elétrica. “Para atender dez voos diários da Latam, compramos cinco equipamentos 100% elétricos, sendo um rebocador, dois tratores de bagagens e duas esteiras para carregamento de bagagens”, conta o CEO da Real Aviation, Adriano Bruno.

Por outro lado, a BH Airport investiu em infraestrutura para oferecer os pontos de energia para o carregamento desses equipamentos, com a construção de uma subestação e a instalação de equipamentos próprios para suportar a operação. “Esse investimento faz parte da estratégia corporativa do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte para ser considerado como um Aeroporto Verde, conforme certificação internacional de Aeroportos da América Latina. Já somos reconhecidos por essa atuação e projetos como esse contribuem também para que a gente consiga outras certificações vinculadas à sustentabilidade, principalmente, no que diz respeito à pegada de carbono”, afirma o gerente de Operações e Segurança, Robson Freitas.

Segundo Barboza, a Latam tem a intenção de expandir esse modelo de operação para outros aeroportos do Brasil, portanto, o próximo passo é implementar os equipamentos elétricos no Aeroporto de Brasília, local onde já há infraestrutura para comportar a iniciativa. O diretor de Aeroportos ainda salienta que até 2050 toda a operação de solo da Latam irá funcionar com energia renovável.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA