Movida

Filip Calixto   |   19/02/2024 11:49

Companhias estrangeiras estão de olho em aviões e pilotos da Gol; entenda

Processo de recuperação judicial da aérea motiva investidas de outras empresas em seus bens

Divulgação/Gol
No Brasil, a única empresa a voar com Boeing 737 MAX é a Gol, o que desperta interesse internacional pelos aviões e por profissionais especialistas no modelo
No Brasil, a única empresa a voar com Boeing 737 MAX é a Gol, o que desperta interesse internacional pelos aviões e por profissionais especialistas no modelo

Passando por um momento de instabilidade financeira, escancarado pelo pedido de recuperação judicial, a Gol pode perder parte de sua frota. A empresa brasileira já entrou em um acordo para devolver cinco jatos Boeing 737 da versão NG ao seu arrendador durante este ano e tem companhias brasileiras e internacionais de olho em outros aviões que hoje estão ainda voando com a sua marca.

As aeronaves com devolução já acertada serão assumidos pela Avelo Airlines, uma nova companhia aérea dos Estados Unidos. A informação foi revelada pela Aviation Week na última sexta-feira (16) e envolve quatro 737-800 e um 737-700, de menor capacidade.

Entende-se, pelo que avaliam os especialistas da Aviation Week, que o fato de a companhia brasileira ter dado entrada em um pedido de restruturação financeira no Tribunal de Falências de Nova York, a devolução dos aviões não tem relação com a medida. Isso porque a Gol já tem um processo de substituição da série NG pelos novos 737 Max em andamento, que consomem menos combustível e voam por distâncias maiores.

Ainda segundo informa a publicação, o plano da empresa brasileira era de receber 15 aeronaves do tipo em 2023, mas a Boeing só entregou seis jatos. Assim que os 737 Max chegam, a Gol tem retirados os 737 NG de serviço.

Nos documentos em que solicitou o início do processo de recuperação judicial, a Gol informou que 20 das suas 138 aeronaves estavam paradas em janeiro.

Vale lembrar que companhias brasileiras também estão de olho nos equipamentos da aérea em RJ. No final de janeiro, o jornal Valor informou que a Latam estaria interessada em ter aeronaves Boeing 737, um modelo inédito em sua frota, incorporando aeronaves da concorrente. As encomendas estariam sendo negociadas com credores da Gol Linhas Aéreas.

Mais que os aviões, a Gol também tem visto alguns de seus profissionais especialistas entrarem no radar de outras empresas. A dominicana Arajet, por exemplo, pretende enviar ao Brasil executivos para recrutar pilotos e mecânicos de manutenção de aeronaves, com especial foco em sua frota de Boeing 737 Max. No Brasil, a única empresa a voar tal equipamento é a própria Gol.

A aérea da República Dominicana pretende montar um dia de seleção, em um hotel paulista, para os profissionais que estiverem interessados em novas oportunidades. Esse processo seletivo já tem data definida para acontecer (dia 22 de fevereiro).

Outras empresas internacionais, conforme noticiou o portal Aeroin, também têm procurado profissionais brasileiros, familiarizados com o Boeing 737 Max, incluindo a Flydubai e a Ryanair.

Tópicos relacionados

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA

Mais notícias