Coronavírus causará perda de US$ 29,3 bi no setor aéreo em 2020

|


Unsplash
Somente na região Ásia-Pacífico, a entidade espera uma perda de US$ 27,8 bilhões para as companhias aéreas
Somente na região Ásia-Pacífico, a entidade espera uma perda de US$ 27,8 bilhões para as companhias aéreas
O surto de coronavírus deve causar uma perda de US$ 29,3 bilhões em receita no setor aéreo em 2020, de acordo com a Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata). Na região Ásia-Pacífico, a entidade espera uma queda de 13% na demanda de passageiros, gerando um impacto de US$ 27,8 bilhões em receita para as companhias aéreas. Já as companhias que atuam nas demais regiões devem registrar uma queda de receita de US$ 1,5 bilhão, considerando apenas a redução de voos internacionais para a China.

"Deter a epidemia do vírus é a nossa prioridade. As companhias aéreas estão seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e outras autoridades públicas para garantir a segurança dos passageiros e o controle da doença, reduzindo a capacidade e, em alguns casos, as rotas. A forte queda na demanda terá um impacto financeiro severo para as companhias aéreas, especialmente as empresas expostas ao mercado chinês. Os custos mais baixos de combustível ajudarão a compensar essa receita perdida. Este será um ano muito difícil para a aviação", afirma o CEO da Iata, Alexandre de Juniac.

Em dezembro, a Iata previa um crescimento global do setor aéreo de 4,1%. Com o surto da doença, a projeção agora é de uma contração na demanda de 0,6% em 2020. As estimativas estão baseadas em um cenário no qual o Covid-10 causaria um grande impacto no primeiro semestre deste ano, com uma rápida recuperação na segunda metade do ano. A Iata também prevê que o surto ficará restrito à China e, caso se espalhe, o impacto em companhias de outras regiões será muito maior.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA