Tráfego aéreo internacional cai ainda mais em janeiro de 2021

|


Divulgação/Chico Andrade

A movimentação internacional de passageiros aéreos em janeiro de 2021 despencou 72% na comparação com os níveis pré-pandemia (janeiro de 2019) e 6,6% em relação ao mês anterior (dezembro de 2020). Medidos em RPK (receita por passageiro por quilômetro), os dados são apontados pela Associação Internacional do Transporte Aéreo (IATA). O índice ano-após-ano superou o recorde negativo de queda, registrado em dezembro de 2020, que foi de 69,7%.

Ainda considerando a movimentação de voos internacionais, a demanda de passageiros caiu 85,6% em janeiro de 2021 versus janeiro de 2019, em linha com o índice de dezembro de 2020, quando a queda foi de 85,3%.

Já no tráfego doméstico (considerando todos os países), a demanda total declinou 47,4% em relação ao nível pré-crise (janeiro de 2019). Em dezembro, este índice apresentou queda de 42,9%. De acordo com a IATA, essa fraqueza se deve a uma restrição das viagens doméstica na China no feriado de ano novo lunar neste que é um dos mercados mais fortes do planeta.

"Este ano está começando pior do que 2020 terminou e isso diz muito. Mesmo que os programas de vacinação ganhem ritmo, novas variantes da covid-19 estão fazendo os governos restringirem as viagens. As incertezas a respeito de quanto tempo essas restrições durarão também têm impacto em viagens futuras. Reservas para o verão no hemisfério norte estiveram 78% abaixo dos níveis registrados em fevereiro de 2019", analisa o CEO da IATA, Alexandre de Juniac.

AVIAÇÃO NA AMÉRICA LATINA

Em janeiro de 2021, a América Latina foi segunda região menos movimentada do mundo em termos de tráfego aéreo, atrás apenas da África, nas seis contabilizadas pela IATA. A líder em fluxo aéreo é Ásia-Pacífico, com 38,6% de participação global, seguida por Europa (23,7%), América do Norte (22,7%), Oriente Médio (7,4%), América Latina (5,7%) e África (1,9%).

"As companhias aéreas latinas amargaram uma queda de 78,5% na demanda em janeiro de 2021 em comparação com janeiro de 2019, um desempenho pior do que a queda de 76,2% ano-após-ano vista em dezembro de 2020", aponta a IATA.

"A oferta caiu 67,9% no primeiro mês deste ano em comparação com janeiro de 2019, e o fator ocupacional declinou 27,2 pontos percentuais, para 55,3%."

MERCADO DOMÉSTICO NO BRASIL
A IATA coloca Brasil, Índia e Estados Unidos em um grupo de estabilidade no tráfego doméstico. Segundo a análise, o País caiu 31,4% em RPKs em relação a janeiro de 2019.

"Embora o Brasil enfrente um aumento significativo em casos de covid-19 recentemente, as restrições de viagens permanecem relativamente frouxas", aponta o relatório.

MAIS TESTAGENS E DISTRIBUIÇÃO DE VACINA
Apenas com maior disponibilização de testes e distribuição de vacinas a economia global poderá se recuperar plenamente, incluindo a indústria do Turismo, na visão do CEO da IATA.

"É fundamental que os os governos construam e compartilhem seus planos de retomada com as referências que os guiarão. Isso vai permitir com que a indústria se prepare para recuperar sem atrasos desnecessários", afirma Alexandre de Juniac.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA