Azul, Gol e Latam somam lucro no 2T21, mas resultado não cobre custos

|


Divulgação
Anac aponta que o resultado positivo deve ser interpretado com cuidado
Anac aponta que o resultado positivo deve ser interpretado com cuidado

As três maiores empresas aéreas brasileiras (Gol, Azul e Latam) obtiveram Resultado Líquido positivo de R$ 899,5 milhões, com margem líquida de 22%, no 2º trimestre de 2021. No mesmo período do ano anterior, o resultado foi de R$ -6,1 bilhões e margem líquida de -399,6%. No contexto do 2º trimestre de 2021, o setor aéreo permaneceu marcado pela pandemia da Covid-19, com as empresas ainda buscando equalizar financeiramente suas operações.

De acordo com os Dados Estatísticos da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), as empresas mais do que triplicaram a oferta (ASK) no 2º trimestre de 2021 em relação ao mesmo período do ano anterior. No entanto, em relação a 2019, a oferta foi 43,4% abaixo no 2º trimestre.

No 2º trimestre de 2021, o dólar se manteve relativamente estável, com queda de 1,7% em relação ao 2º trimestre de 2020. O preço do combustível (QAV), no entanto, aumentou 91,7% na média trimestral.

As receitas de serviços aéreos das empresas brasileiras tiveram aumento de 177,9% no 2º trimestre de 2021 quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Os custos e despesas operacionais aumentaram 2,8%. A receita de passagens aumentou 804,5% e representou 76% do total das receitas de serviços aéreos. As receitas com Carga e Mala Postal, por sua vez, aumentaram 22,5% e representaram 14,4% do total. Entre os custos e despesas, o maior custo do setor foi com seguros, arrendamentos e manutenção de aeronaves (22,4%), seguido de combustíveis e lubrificantes (22,6%) e pessoal (18,8%).

RESULTADO POSITIVO NÃO COBRE CUSTOS
O resultado positivo do trimestre de referência deve, contudo, ser interpretado com cuidado, pois as três empresas apresentaram lucro bruto negativo, o que implica em dizer que as receitas diretamente ligadas à sua operação não foram suficientes para cobrir seus custos.

O principal fator para transformação do resultado líquido em positivo no setor foi o resultado financeiro (+R$ 2,7 bilhões), decorrente, em sua maioria, de ganhos com variações cambiais. No caso das empresas Azul e Gol, o resultado financeiro também tornou seu resultado líquido positivo, não acontecendo o mesmo no caso da Latam.

As informações estão disponíveis na seção Dados e Estatísticas do portal da ANAC (clique no link para acessar).

NOTÍCIA DA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA ANAC
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA