Iata cria metodologia que calcula emissão CO2 na aviação

|

A Iata desenvolveu uma ferramenta que mede a emissão de CO2 por viajante embarcado em aviões. A medição leva em conta informações repassadas por uma série de companhias aéreas pelo mundo e busca, assim, quantificar as emissões na intenção de entender melhor o impacto ambiental da indústria.

Pixabay
A Metodologia de Cálculo de CO2 por Passageiro busca quantificar o impacto da aviação no meio ambiente
A Metodologia de Cálculo de CO2 por Passageiro busca quantificar o impacto da aviação no meio ambiente
Em comunicado, a associação lembra que passageiros, gestores de viagens corporativas e agentes de viagens estão cada vez mais exigindo informações precisas sobre as emissões de CO2 dos voos. Por isso, é fundamental ter uma metodologia de cálculo precisa e padronizada. Isso se aplica particularmente ao setor corporativo, onde tais cálculos são necessários para a definição de metas voluntárias de redução de emissões.

“As companhias aéreas trabalharam juntas por meio da Iata para desenvolver uma metodologia precisa e transparente usando dados operacionais verificados das empresas aéreas. O método fornece o cálculo de CO2 preciso para que as pessoas e organizações tomem decisões fundamentadas sobre como voar de forma sustentável. Isso inclui decisões sobre investimentos em compensação voluntária de carbono ou uso de combustível sustentável de aviação (SAF)”, disse o diretor geral da associação, Willie Walsh.

A metodologia da Iata leva em consideração os seguintes fatores:

  • Orientação sobre medição de combustível, alinhada ao Esquema de Compensação e Redução de Carbono para Aviação Internacional (CORSIA);
  • Escopo claramente definido para calcular as emissões de CO2 em relação às atividades de voo das companhias aéreas;
  • Orientação sobre emissões não relacionadas a CO2 e Índice de Força Radiativa (RFI);
  • Princípio de cálculo baseado em peso: alocação de emissão de CO2 por passageiro e carga no porão da aeronave;
  • Orientação sobre o peso do passageiro, usando peso real e padrão;
  • Fator de emissões para conversão do consumo de combustível de aviação para CO2, totalmente alinhado ao Corsia;
  • Peso e multiplicadores da classe da cabine para refletir as diferentes configurações de cabines das companhias aéreas;
  • Orientação sobre SAF e compensações de carbono como parte do cálculo de CO2.

“A aviação tem o compromisso de atingir zero emissão líquida até 2050. Ao criar um padrão aceito pelo setor para calcular as emissões de carbono da aviação, estamos colocando em prática um suporte essencial para atingir essa meta. A Metodologia de Cálculo de CO2 por Passageiros da Iata é a ferramenta mais confiável e está pronta para ser adotada por companhias aéreas, agentes de viagens e passageiros”, acrescentou Walsh.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA