Alta discute medidas sustentáveis para o futuro da aviação

|


Leonardo Ramos
Juan Sarmiento, gerente da Alta
Juan Sarmiento, gerente da Alta

A Associação Latino-Americana e do Caribe de Transporte Aéreo (Alta), está discutindo neste dia mundial do meio ambiente (5) medidas sustentáveis para o mercado da aviação. O debate tem grande relevância, visto que o tráfego aéreo deve duplicar na América Latina e Caribe nos próximos 10 anos.


Segundo a associação, suas companhias aéreas membro alcançaram eficiência anual de 3,5%, acima do objetivo traçado pela indústria aérea em 2010, de 1,5%. Entre as propostas, está “interromper o crescimento de emissões de CO2 a partir de 2020 e reduzir em 50% as emissões líquidas de CO2 a partir de 2050”.


Protótipos de modelos mais econômicos, como aviões híbridos e elétricos, devem começar a operar a partir de 2020, com capacidade para 15 a 20 passageiros, que deve ser aumentada em 2035.


“Atualmente, nossos membros têm feito, por exemplo, taxiamento com um só motor, aterrissagens sem reversores e com flaps reduzido”, comenta o gerente de Meio Ambiente e Dados Econômicos da Alta, Juan Sarmiento.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA