O que muda no comportamento do viajante pós-pandemia?

|

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Para mapear os novos hábitos do consumidor e as mudanças e adaptações na sociedade trazidos pela crise de covid-19 e pela quarentena imposta por ela, a agência de publicidade Lew’Lara\\TBWA, que atende, entre outras contas, a CVC Corp, preparou um estudo de comportamento, usando ferramentas próprias de monitoramento de tendências.

O novo normal pós-covid 19 começa a se desenhar, e segundo a Lew’Lara\\TBWA traz consigo as seguintes tendências e mudanças, que são grandes oportunidades para a indústria de Viagens e Turismo:

1 - LIBERDADE SE TORNA ASPIRAÇÃO
Com a restrição no dia a dia, começamos a ver mais valor nas coisas. Passamos a reavaliar nossas prioridades, vendo valores em simples prazeres e enxergando que a saúde é o nosso bem mais valioso.

Com isso, tudo aquilo que nos remete a liberdade se torna aspiração. E nada materializa mais a liberdade do que viajar. Viajar é o motor das melhores emoções.

A restrição aumenta o valor da liberdade e o isolamento desperta o sonhar em viajar. E estamos sonhando com a liberdade pós-covid-19, através das viagens.

2 - CONEXÃO EMOCIONAL – Insegurança x Saudade
Com a restrição no dia a dia, começamos a ver mais valor nas coisas. Passamos a reavaliar nossas prioridades, vendo valores em simples prazeres e enxergando que a saúde é o nosso bem mais valioso. Como o momento da volta possui ainda com um grau de restrição, vamos ver as pessoas menos focadas em posse e status. As pequenas coisas que poderão voltar a fazer terão um grande impacto.

O primeiro movimento de viagem será aquele com conexão emocional, mesmo quando pensar em viajar desperta emoções conflitantes: inseguranças vs. saudades.

O novo normal passará a ser o de viagens nacionais, mais perto da segurança doméstica e por terra, evitando voos e cruzeiros; e de curta duração, em que a economia instável transformara´ viagens de duas semanas em um fim de semana estendido.

3 - JORNADA DIGITAL
Por conta do isolamento, as pessoas substituíram as compras em lojas físicas por compras on-line, mesmo para viagens, em que o digital é pouco personalizado e tomado pelas ofertas varejistas.

A entrada da tecnologia na vida de todos foi muito acelerada. E este efeito é visto como positivo. Por isso, é preciso aumentar presença digital e acompanhar essa jornada dos consumidores, entendendo através de dados os melhores pontos de contato para se comunicar.

Uma noção de segurança no digital passou a ser criada nesse cenário de pandemia. Em vez de perguntar “Por que eu devo fazer isso on-line?”, vamos nos perguntar “Por que devo fazer isso pessoalmente?”.

4 - VOLTAR A VIAJAR
O novo coronavírus botou o Turismo em quarentena. Nesse cenário, muita gente acaba avaliando se vale seguir viagem ou se é melhor cancelar o planejado. A mudança atinge também quem não estava pensando em férias, mas havia se programado para ir a eventos, como os jogos remarcados sem torcida e os encontros mundiais adiados em vários setores.

Existe um sentimento de insegurança sobre o momento de voltar a viajar, e ele perdurará ainda por um bom tempo, além da expectativa de atuação governamental em restrições mais duras quanto às viagens. Mas, existe uma luz no fim do túnel, com uma previsão de início de retomada para o segundo semestre, em que se espera movimento para Carnaval 2021, além de casamentos e luas de mel adiadas.

United Airlines

VIVER NO MUNDO COM COVID

"O que estamos vivendo hoje está redefinindo todo um futuro. Não sabemos, ainda, para que mundo a gente vai voltar - se é que podemos chamar de volta. Mas temos certeza de que não será como era. Não é o fato de pensar como será o mundo pós-covid, mas sim de viver o mundo com covid. Diversos novos hábitos e receios estão nascendo, outros tantos sendo acelerados, e vindo para ficar no que já é consenso chamar de 'o novo normal'. Estamos começando a desenhar, o que queremos para nós mesmos e para a sociedade. Essa é a nossa oportunidade”, comenta a chief strategy officer da Lew’Lara\\TBWA, Renata Serafim.

“Existe uma expectativa de voltar a vida como era antes, mas diversos novos hábitos e receios irão nascer. Alguns dos comportamentos que estamos adquirindo, vieram para ficar e irão moldar novas rotinas, e assim, vamos começar a desenhar a sociedade que queremos para nós e para todos”, comenta a CEO da Lew’Lara\\TBWA, Marcia Esteves.

Todo o raciocínio e trabalho de inteligência estratégica foram pautados na plataforma Backslash, proprietária da Rede TBWA e que conta com equipes de monitoramento dos comportamentos culturais ao redor do mundo, formando uma espécie de “hub de conteúdo” sobre comportamento e cultura, que alimenta uma rede de referências, inspirações e movimentos que possam servir de inspiração ou oportunidade de conexão com as marcas dos clientes da rede.

ASSISTA À LIVE COM LUIZ LARA, NO PORTAL PANROTAS

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA