TURISMO

Descubra Toronto - Parte 1: passeios imperdíveis no verão

Por Carla Lencastre, especial para o Portal PANROTAS

Toronto (Canadá) — Verde por toda a parte. Gente caminhando nas ruas arborizadas. Brindes ao ar livre. Roupas leves. Toronto se transforma no verão e fica muito diferente da metrópole gelada que é a porta de entrada para a bela imensidão branca do inverno no Canadá. Quem a conhece pode não reconhecer. A maior cidade do país ganha novas cores enquanto a CN Tower paira soberana. Neste verão 2019, até o vermelho se espalhou pelas ruas, com a vitória dos Raptors na NBA. O inédito campeonato do time canadense de basquete levou às ruas uma multidão orgulhosa, na madrugada de 12 para 13 de junho, para comemorar o título.

Divulgação
Toronto surpreende no inverno, mas também é uma excelente opção no verão
Toronto surpreende no inverno, mas também é uma excelente opção no verão

Verão em Toronto dura pouco. Em setembro, os dias ainda estarão agradavelmente acima dos 20 graus Celsius, mas à noite os termômetros já não passarão dos 15ºC. Outubro vê a temperatura descer para um dígito. Em novembro começa a nevar. Todo mundo vai voltando para debaixo da terra, para o PATH, rede de caminhos subterrâneos mais de 30 quilômetros de extensão que conecta diversos pontos do Centro. No longo percurso, há estações de metrô, mais de mil lojas e restaurantes, e acessos diretos a alguns hotéis e atrações. A hora de ver a cidade de 185 anos por novos ângulos é agora. Verão é época de eventos e de festivais, vários ao ar livre. São muitos, dos mais diferentes temas, um depois do outro e às vezes ao mesmo tempo. O site do Turismo de Toronto lista alguns dos mais importantes, vale conferir.

Divulgação
CN Tower é um dos principais programas em Toronto, independente da estação do ano
CN Tower é um dos principais programas em Toronto, independente da estação do ano

AS PRINCIPAIS ATRAÇÕES DE TORONTO

A CN Tower continua um programa imbatível, não importa quantas vezes se vá a Toronto. No verão, quando se anda mais pelas ruas, a dica é aproveitar para fotografá-la de diferentes pontos de vista. É sempre fotogênica. Para curtir melhor o panorama visto do topo, com vistas para o Lago Ontario e a cidade, escolha um dia de céu azul. São muitos nesta época do ano. Reserve tempo para garimpar uma boa lembrança na imensa loja de suvenires no térreo.

Rumo ao Leste, passeio imperdível em qualquer estação, inclusive no verão, é o St. Lawrence Market, que há mais de 200 anos fascina Toronto com sua variedade de produtos gastronômicos. Os estandes de frutos do mar, com patas de caranguejos gigantes do Alasca e outros crustáceos, são dos mais impressionantes. Para comer lá mesmo, é hors-concours o tradicional peameal bacon sandwich, com fatias de lombo canadense e mostarda, há décadas a grande atração da Carousel Bakery. Para levar para o hotel ou para casa, há queijos artesanais na Olympic Cheese Mart, de 1958, e mostardas na Koslik’s, uma empresa familiar desde 1948 que vende hoje mais de 30 variedades. Ao lado do mercado, uma loja do LCBO (Liquor Control Board of Ontario) é bom endereço para comprar cervejas, vinhos e destilados locais.


Divulgação
O St. Lawrence Market, que há mais de 200 anos fascina Toronto com sua variedade de produtos gastronômicos
O St. Lawrence Market, que há mais de 200 anos fascina Toronto com sua variedade de produtos gastronômicos

Quase em frente ao mercado, está uma das novas atrações da cidade: uma filial do Museu das Ilusões, inaugurada no fim do ano passado. É programa perfeito para quem viaja em família e divertido para quem está acompanhado. Sozinho perde um pouco da graça, porque alguns truques de ilusões de ótica funcionam melhor se tiver pelo menos mais uma pessoa para participar da brincadeira. E das fotos, claro. O museu foi criado para as redes sociais.

Indo além do mercado e do museu, sempre no sentido Leste, chega-se ao Distillery District, programa que fica bem melhor no verão. Galerias de arte, bares, cafés e lojas únicas ocupam armazéns em estilo vitoriano industrial, restaurados e reabertos há 15 anos. O entrar e sair de um e outro, tão sofrido com o vento gelado do inverno, vira um prazer no verão. Dá para admirar melhor a arquitetura do local, da primeira metade do século 19; curtir as intervenções artísticas ao ar livre, assistir a uma performance. A área é somente para pedestres. Alguns endereços para anotar: a fábrica de chocolates Soma, a cervejaria Mill St. e a loja Deciem, The Abnormal Beauty Company, com dez diferentes marcas de produtos de beleza.

Como o dólar canadense custa 25% menos que o americano (CAD$ 1 vale R$ 3), fazer compras pode ser um programa, e eletrônicos são mais baratos do que no Brasil. O maior centro comercial é o Eaton, ao lado da Prefeitura. Com mais de 200 lojas, tem teto envidraçado que deixa passar a luz natural. Uma das entradas é em frente à Hudson’s Bay, a maior e mais antiga loja de departamentos do país. Sua marca são quatro listas coloridas, que se repetem em cobertores, casacos, gorros, esquentando gerações de canadenses.

Carla Lencastre viajou a convite do Turismo de Toronto e com proteção GTA

Veja mais fotos no álbum abaixo e amanhã, na Parte 2, traremos o lado cultural e mais atrações de Toronto. Não perca
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA