Jacqueline Conrado é, aos 33 anos, nova diretora da United

|


Jhonatan Soares
Jacqueline Conrado agradeceu a confiança de Alex Savic em seu trabalho
Jacqueline Conrado agradeceu a confiança de Alex Savic em seu trabalho
Em um mercado com poucas mulheres em postos de liderança, especialmente na aviação, a United Airlines ousa e surpreende ao oficializar a jovem executiva, de 33 anos, Jacqueline Conrado, como nova diretora da companhia aérea para o Brasil. Jacqueline está há pouco mais de dois anos na empresa aérea, onde era gerente de Marketing, e ficou interinamente no lugar de Lucimar Reis, que deixou a companhia no começo de novembro.

“Ela foi tão bem nesse período interino que eu e nossos líderes em Chicago apostamos que ela tem as habilidades e a competência para liderar nosso maior e principal mercado na América Latina”, disse Alex Savic, diretor da United para a América Latina e que está no Brasil para diversas reuniões com o trade, apresentando Jacqueline oficialmente como a nova líder no País.

“Sei da responsabilidade e dos desafios, mas também conheço a cultura da United, como ela mudou em direção ao cliente e aos parceiros nos últimos anos, e como tem tido uma trajetória sólida. Estou agradecida e animada com esse desafio, e quero fazer a empresa crescer ainda mais no Brasil”, disse Jacqueline Conrado ao Portal PANROTAS.

A United tem cinco frequências diárias entre o Brasil e os Estados Unidos, com voos de São Paulo para Newark/Nova York, Chicago, Houston e Washington DC e do Rio para Houston. E conseguiu passar o período de crise sem diminuir capacidade ou cortar voos, como outros players do mercado. O segredo? “Soubemos posicionar nossos produtos, acertar na quantidade de assentos, nos produtos para os viajantes corporativos e no trabalho com o trade”, explica Alex Savic.

“É claro que buscamos oportunidades de crescer no Brasil, mas com a crise seguramos esses planos e agora esperamos que a economia no novo governo volte a crescer, para que voltemos a olhar para aquelas oportunidades”, continuou.

Oportunidades que virão também da parceria com a Azul (as duas empresas contam com codeshare para várias cidades aqui e nos Estados Unidos e seus programas de milhagens possuem parceria completa de troca de prêmios), do acordo de céus abertos entre Brasil e EUA, da estabilidade do dólar e, claro, do acordo assinado recentemente com a Copa Airlines e a Avianca Holdings. O pedido de joint business agrément precisa de aval das autoridades dos países envolvidos (o Brasil não está incluído, por ora).

“Esperamos que a Azul continue crescendo e oferecendo destinos exclusivos a nossos passageiros e, por outro lado, que a Avianca Brasil, nossa parceria de Star Alliance, consiga sair da recuperação judicial e voltar à lucratividade e ao crescimento”, analisou Savic.

Jhonatan Soares
Jacqueline Conrado
Jacqueline Conrado

DUAS VAGAS NA UNITED

Com a promoção de Jacqueline Conrado, possivelmente a mais jovem diretora de empresa aérea na história da aviação no Brasil, duas vagas estão abertas ainda no time da United, que conta com 250 funcionários no Brasil. “Vamos selecionar um gerente para São Paulo e um novo gerente de Marketing. As duas vagas estão abertas”, anunciou Alex Savic.

O diretor para a América Latina também tem novidades em sua estrutura em Chicago. Ele agora responde ao vice-presidente internacional, Marcel Fuchs, baseado em Londres. A área de Américas era ocupada por Jake Cefolia, promovido a vice-presidente mundial de Vendas. Com isso, a sua antiga área foi unificada à de Fuchs, que assumiu todo o internacional.

“Estamos otimistas com o Brasil, conseguimos um 2018 de sucesso, e 2019 será bem melhor. Mantivemos os voos e nossa parceria com o trade. Até o final do ano todos os aviões da United que pousam no Brasil, sejam 767 ou 777, já terão a nova classe Polaris, e também a Premium Plus, uma quarta classe, com assento diferenciado em relação à economy e economy plus. A cada dez dias uma nova aeronave chega à nossa frota com a nova configuração”, resume Jacqueline Conrado.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA