Accor e Castro Burger mostram como atender o público LGBT

|

Unsplash
As empresas atuam de forma para que todos se sintam representados, dentro e fora da empresa
As empresas atuam de forma para que todos se sintam representados, dentro e fora da empresa
A preparação para atender o público LGBT foi um dos assuntos do LGBT Travel Digital Connecting, promovido pela Câmara do Comércio e Turismo LGBT e Global Vision Access (GVA) nesta quarta-feira (15). A Accor e a Castro Burger são exemplos de empresas que planejaram seu posicionamento e se prepararam para atender melhor a comunidade LGBT, seja dentro ou fora da companhia.

Para o gerente de Contas e embaixador LGBT da Accor, Raul Almeida, é importante ter em mente que o público LGBT precisa ser atendido agora, e não no futuro. Pensando nisso, em 2017 a Accor criou o comitê LGBT e desenvolveu uma cartilha com a explicação dos conceitos LGBT para ser distribuída em todos os hotéis do País. “Não adianta colocarmos uma bandeirinha na porta, se não entendemos de fato o que significa. Temos que ter a consciência de que não é algo óbvio para todo mundo. Por isso, esse preparo interno precisa acontecer”, afirmou Almeida.

Além da conscientização, as empresas fizeram um trabalho de contratação de pessoas LGBT para incentivar o protagonismo interno. Segundo o sócio-fundador da Castro Burger, Luiz Felipe Granata, a hamburgueria contratou apenas LGBT’s desde sua fundação, mas sempre prezou pelo atendimento igualitário. “Aqui não temos um tratamento específico. Prezamos pelo bom atendimento independentemente da pessoa”, disse.

Em complemento, Almeida ressalta a importância de ir além da contratação. “A gente fala muito de contratar pessoas LGBT, mas é importante também aproveitar os talentos que já temos. Por isso, fizemos um manual de recrutamento para promover a diversidade dentro do nosso quadro de colaboradores”, destacou.

No que se refere à comunicação externa, as empresas atuam de forma para que todos se sintam representados.
“Na Accor, temos comunicações muito diversas. Se fizermos uma campanha para a família, por exemplo, temos que entender que existem diversas configurações de família. Todas as nossas campanhas contemplam essa pluralidade. E como profissional do Turismo, o nosso papel é atender, acolher e promover experiências melhores para as pessoas”, ressaltou Almeida.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA