60% dos turistas LGBTQ no Brasil planejam viajar ainda este ano

|


Divulgação
As viagens domésticas estão no topo da lista das atividades dos viajantes para os próximos seis meses
As viagens domésticas estão no topo da lista das atividades dos viajantes para os próximos seis meses
Recente levantamento realizado pela Associação Internacional de Turismo LGBTQ+ (IGLTA) revelou que há uma grande demanda reprimida entre os viajantes LGBTQ+, devido às restrições de viagens desde o começo da pandemia. A maioria dos entrevistados globais (60%) disse que planeja tirar suas próximas férias importantes antes do fim de 2021. A "Pesquisa de Viagens LGBTQ+ Pós Covid 2021" foi realizada entre 26 de março e 9 de abril de 2021 com 6.300 viajantes da comunidade LGBTQ+ em todo o mundo, com a maior representação dos Estados Unidos, Brasil, Índia, Europa e México.

"Quando fizemos o nosso primeiro estudo sobre o sentimento de viagens LGBTQ+ pós-covid no ano passado, a pandemia estava em seu início e tudo era incerto. Ainda assim, os resultados foram inegáveis: os viajantes LGBTQ+ estavam ansiosos para voltar a viajar assim que fosse possível e com segurança. Queríamos revisitar este projeto um ano depois, nesse momento desafiador, para reforçar a resiliência dos viajantes LGBTQ+ e para defender a importância da equidade, diversidade e inclusão nos destinos escolhidos. Mais uma vez, os resultados mostram inegavelmente que os viajantes LGBTQ+ estão prontos para viajar e representam um valioso e leal público para empresas de Turismo que se esforçam para genuinamente recebê-los", disse o presidente da IGLTA, John Tanzella.

Segundo o levantamento, as viagens domésticas, com estadas em hotéis ou resorts e voos de curta distância, estão no topo da lista de atividades nos próximos seis meses, enquanto voos mais longos e atividades em grupo levarão mais tempo para se recuperar. Já a probabilidade de participar de eventos e festivais LGBTQ+ nos próximos seis meses foi a mais alta entre os brasileiros entrevistados (56%), ressaltando o forte desejo de se reconectar com a comunidade.

VIAJANTES DO BRASIL

Para o recorte do Brasil, a IGLTA entrevistou 943 indivíduos LGBTQ+ que vivem no País, dos quais 81% têm entre 25 e 64 anos. No que se refere à identidade de gênero, 50% se identificam como mulheres, 46% como homens, 3% como não-binários e 1% com outras identididades. Já em relação à orientação sexual, 43% dos entrevistados se identificam como gays; 34%, lésbicas; 17%, bissexual, 3%, pansexual, 1%, queer e 1%, outros.

A maioria dos entrevistados no Brasil (60%) disse que planeja tirar suas próximas férias antes do fim de 2021. Nas intenções de viagens por mês, se destaca dezembro (14%), seguido por julho, outubro e novembro empatados (8%). Os meses de junho, agosto e setembro também aparecem empatados (6%), seguidos pelo mês de maio (4%). Além disso, 11% dos respondentes fizeram reservas de viagem uma semana depois de responder à pesquisa.

Quando questionados sobre a probabilidade de voar dentro dos próximos meses, 45% dos brasileiros disseram que planejam fazer uma viagem aérea de longa distância (seis horas ou mais), 30% preferem fazer uma viagem de média distância (de três a seis horas), enquanto 22% planejam fazer uma viagem de curta distância (três horas ou menos).

Sobre as atividades mais esperadas para os próximos seis meses, 65% dos entrevistados disseram que planejam ficar em casa (onde habita ou onde costuma passar as férias), 56% vão assistir a um evento de orgulho LGBTQ+, 52% têm planos para fazer uma viagem nacional a lazer e 44% pretendem se hospedar em um hotel.

Outras atividades citadas pelos brasileiros incluem fazer uma viagem internacional a lazer (21%), fazer uma viagem em grupo (21%), visitar um parque de diversões (15%) e viajar em um cruzeiro (11%).
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA