Tui fecha agências no Reino Unido e aponta para digital

|

Wikipedia
Recentemente, a Tui anunciou que fechará 166 agências de rua no Reino Unido e Irlanda após consideração dos dados do mercado local, tendências do consumidor e previsões sobre o futuro das viagens. De acordo com o portal Travel Weekly, a empresa criará uma nova equipe de vendas e serviços remota. A Tui disse que 70% das 900 funções impactadas pelos fechamentos serão transferidas para essa equipe, que visa proteger os empregos no Reino Unido e mitigar redundâncias, transferindo outros consultores de varejo afetados para vagas nas demais lojas de rua.

Para a Global Data, o fechamento de lojas da Tui marca o ponto de virada para as agências de viagens do Reino Unido, já que 45% dos turistas globais compram mais produtos on-line. “Essa mudança da TUI UK não é surpreendente depois que o gigante europeu das viagens já declarou iniciativas para digitalizar as operações em seus resultados semestrais no início deste ano. Com 45% dos turistas globais optando por comprar mais produtos on-line em um mundo pós-pandemia, é provável que mais agentes de viagens do Reino Unido avaliem suas estratégias e façam esse movimento para reduzir custos em um momento em que a demanda ainda não retornou", afirmou a analista de viagens e Turismo da empresa de dados, Johanna Bonhill-Smith.

Para a Global Data, as agências e os operadores com um modelo de negócios mais leve ainda têm uma clara vantagem em suportar a incerteza que continua a cercar a recuperação de viagens porque eles não têm altos custos fixos, como aluguel, contas e outros serviços públicos a pagar. A decisão da Tui de descarregar é um sinal de que está olhando para seguir nessa direção.

“Além disso, no ano passado, os consumidores que costumavam reservar em uma agência de viagens na loja tinham 65 anos ou mais. Como eles são grupo de risco do covid-19, é provável que eles estejam nervosos em viajar enquanto o vírus ainda está em liberdade. De fato, 43% dessa faixa etária diz que planeja reduzir as viagens internacionais a curto prazo", explicou a analista.

A empresa de análise e dados afirma que esse é um grande problema para as operadoras com alta dependência da receita da loja e pode atrasar ainda mais a recuperação de muitas operadoras. "Seria sensato que essas operadoras voltassem a se concentrar no desenvolvimento de suas plataformas on-line para atender melhor a um número maior de turistas em meio a mudanças radicais nas preferências dos consumidores”, completou Johanna.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA