NCL detalha retorno dos cruzeiros e impacto no Brasil

|

Divulgação
Na última semana, a Norwegian Cruise Line anunciou o retorno das operações entre o final de julho e o começo de agosto deste ano com três navios: Jade, Joy e Gem. O primeiro navegará na Europa, pelas ilhas gregas, enquanto os outros dois navegarão no Caribe, com embarque na Jamaica e República Dominicana. Com o anúncio da retomada e do requisito da vacinação para embarcar, Harry Sommer, presidente e CEO da NCL, detalhou os planos da companhia em coletiva de imprensa. A entrevista é a reportagem de capa da Revista PANROTAS desta semana.

"O retorno da companhia aos mares está baseado em dois pilares: os destinos e a segurança. O primeiro pilar é fornecer aos clientes destinos empolgantes. As ilhas gregas e o Caribe foram escolhidos por acreditarmos que são os melhores lugares para viajar neste momento. Viajantes demonstraram interesse nos destinos, e se é lá que querem estar, é lá que navegaremos. Já o segundo pilar é a segurança. Só vamos navegar em itinerários em que temos certeza de que os passageiros e a tripulação estarão completamente seguros", explicou Sommer.

Para entender o impacto no mercado brasileiro do retorno da companhia aos mares, a Revista PANROTAS conversou com a diretora geral da Norwegian Cruise Line no Brasil, Estela Farina, que afirmou estar muito feliz, principalmente devido aos roteiros que serão realizados na retomada da NCL.

"É uma perspectiva de normalidade e a resposta de parceiros foi muito boa, eles viram como uma oportunidade e acreditam no sucesso do retorno. O fato de começar exatamente com esses três roteiros é muito favorável e acho que também abre uma oportunidade de venda para os agentes de viagens brasileiros. São roteiros muito positivos para o mercado brasileiro, principalmente os do Caribe", afirmou Estela.

Confira abaixo a matéria completa com todos os detalhes e requisitos dos próximos cruzeiros da NCL, e qual é o impacto inicial do anúncio no Brasil.


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA