WTTC pede para CDC parar de apontar o dedo e prejudicar cruzeiros

|


PxHere
A  CEO da WTTC, Julia Simpson, pede para a CDC retirar os cruzeiros da lista de risco elevado de covid-19
A CEO da WTTC, Julia Simpson, pede para a CDC retirar os cruzeiros da lista de risco elevado de covid-19
Em uma participação na Fitur Trade Fair 2022, em Madri, na Espanha, a presidente e CEO do World Travel & Tourism Council (WTTC), Julia Simpson, considerou injusto e escrutínio unilateral a decisão do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) de continuar com os níveis elevados de risco de covid-19 em viagens de cruzeiro. As informações são do Travel Pulse.

“Apesar de celebrarmos o fim da ordem de navegação condicional, a decisão do CDC de manter os avisos de saúde de viagens elevados não faz sentido”, declara Simpson. “A indústria de cruzeiros provou repetidamente que seus protocolos aprimorados de saúde e segurança atingem consistentemente taxas significativamente mais baixas de ocorrência de covid-19 do que em terra”, disse ela.

A CDC disse no início deste mês que, a partir de 15 de janeiro, suspenderia a ordem de navegação condicional (CSO) para navios de cruzeiro nos Estados Unidos. A agência do governo disse que permitiria que as linhas de cruzeiro fizessem a transição para um programa voluntário.

No entanto, o CDC há três semanas disse que estava investigando 92 navios para covid ou possíveis infecções, levando à especulação de que a agência estava destacando apenas a indústria de cruzeiros. Fato que levou Julia a fazer um apelo para a CDC.

"A WTTC pede ao CDC que pare de implementar medidas prejudiciais e desnecessárias à indústria de cruzeiros", disse ela. "As armadoras têm um excelente histórico de saúde e segurança, e os cruzeiros continuam a oferecer experiências de viagem extraordinárias", finaliza a presidente do WTTC.


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA