Recuperação da hospitalidade no Reino Unido pode demorar meses

|

A EY, empresa de consultoria, mostrou que uma recuperação rápida no setor de hospitalidade do Reino Unido não será possível. Apesar das suspensões das restrições, com pubs com mesas ao ar livre reabrindo, o mais recente Índice de Consumidor do Futuro sugere que qualquer aumento significativo na demanda ainda pode demorar meses. As informações são do Breaking Travel News.

Pixabay/Stefan Wiegand
Recuperação da hospitalidade no Reino Unido pode demorar alguns meses
Recuperação da hospitalidade no Reino Unido pode demorar alguns meses
A pesquisa, feita com mais de mil consumidores britânicos, descobriu que 37% estão planejando gastar mais em serviços recreativos fora de casa, contra 26% em outubro. Enquanto isso, 43% planejam gastar mais em um feriado pós-covid-19, em comparação com 31% em outubro.

No entanto, quase dois terços dos entrevistados se sentem desconfortáveis em ir a um bar ou pub, contra 52% em outubro, enquanto mais da metade (57%) se sente desconfortável em comer em um restaurante – em outubro esta porcentagem era de 37%.

Mais da metade acredita ainda que o vírus só deixará de afetar suas vidas diárias depois que a maioria da população for vacinada. Os dados sugerem que o grande "desbloqueio" no comportamento do consumidor pode ocorrer no final do verão, uma vez que a maior parte do programa de vacinação deve ser concluída.

“A demanda reprimida do consumidor provavelmente levará a um aumento inicial na atividade, mas muitos operadores de hospitalidade e lazer podem precisar se preparar para uma possível queda e, em seguida, uma construção mais lenta durante o verão. Esperamos ver um comércio particularmente forte para empresas que atendem à demanda de viagens domésticas, dado o grande apetite do consumidor por férias, enquanto as restrições às viagens internacionais permanecem”, diz o chefe de Hospitalidade e Lazer da EY para Reino Unido e Irlanda, Christian Mole.

Os dados de ocupação hoteleira de todo o mercado de 2020 mostraram um desempenho significativamente acima da média no verão e no início do outono em cidades com forte demanda de viagens domésticas, como Inverness, Plymouth e York. No entanto, os centros das cidades continuarão a ser afetados pela falta de turismo no exterior e hospitalidade relacionada a negócios e atividades de viagens.

A pesquisa da EY mostra ainda que o apetite do consumidor em retornar aos locais de hospitalidade e lazer não é impulsionado apenas por questões de saúde e segurança. Também é parcialmente afetado pelas expectativas de que a experiência do cliente levará algum tempo para voltar ao normal.

De acordo com o índice, a maioria (69%) dos consumidores espera que demore meses ou mais antes que os restaurantes ou bares voltem ao normal, enquanto 42% esperam que sua experiência de comer fora piore a longo prazo.


*Fonte: Breaking Travel News

conteúdo original: https://bit.ly/3a89B2G
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA