Trend estará ainda mais forte pós pandemia, afirma diretor

|

“Eu costumo falar que de mar calmo não sai bom marinheiro”. Mais forte, mais resiliente, com novos produtos e tecnologias e a mesma parceria de sempre com o agente de viagens. É assim que o diretor geral da Trend, Maurício Favoretto, acredita que a empresa marcará presença no cenário de retomada do Turismo pós pandemia. “Ao invés de ficar parado reclamando, eu e toda a empresa estamos trabalhando para voltar ainda mais fortes”, afirmou.

Emerson Souza
Mauricio Favoretto, diretor geral da Trend
Mauricio Favoretto, diretor geral da Trend

Com cerca de 450 colaboradores, todos eles trabalhando atualmente em regime de home office, a Trend, na opinião de Favoretto, tem se saído muito bem em meio à crise causada pela pandemia do novo coronavírus. “Dividimos as ações tomadas em fases, sendo que a primeira delas foi cuidar dos nossos funcionários e colocá-los para trabalhar de casa, estabelecendo algumas medidas, como por exemplo, a redução da jornada em 50% (para todo o grupo CVC Corp)”, revela. Segundo Favoretto, todos os postos de trabalho foram mantidos, sem nenhum desligamento, exceto aqueles que já estavam programados antes da pandemia.

Além disso, a Trend também disponibilizou um hotsite para consolidar notícias que mostravam o atual cenário do Turismo e do mundo, trazendo informações relevantes sobre as MPs em tratativas, iniciativas governamentais, linhas de crédito, entre outros. “Também fizemos campanhas como a “Fique em casa, Viaje depois” nas redes sociais e ações internas de reconhecimento das vendas que estão acontecendo para o segundo semestre”, afirmou.

Seguindo o mesmo discurso e linha de racícionio de Leonel Andrade, CEO da CVC Corp, e Claiton Armelin, diretor de Produtos Nacionais da CVC Brasil, Mauricio Favoretto acredita em uma retomada gradual, começando em outubro com destinos nacionais e viagens a lazer de curta e média duração, como finais de semana, feriados e fim de ano. “Destinos de praia devem se sobressair neste cenário. No entanto, voltar aos níveis de 2019, acho que ainda levaremos mais uns dois ou três anos”, avalia o executivo. Ainda de acordo com o diretor, assim que houver sinais concretos de melhorias, o mercado corporativo também voltará, mesmo que em níveis inferiores, à sua rotina normal.

PARCERIA COM O TRADE
Desde sua fundação, o único canal de vendas da Trend sempre foi o agente de viagens. Mesmo diante de um período difícil, a operadora não deixou de engajar e se relacionar com esse público. “Já realizamos mais de 130 treinamentos em parceria com destinos e fornecedores, abordamos assuntos como liderança estratégica, gestão de crise e inteligência emocional. Já foram mais de três mil agentes capacitados”, revela. Para Favoretto, este é o momento que a empresa precisa mostrar a sua preocupação com o parceiro que está com ela no dia a dia com "céus de brigadeiro".

Uma outra iniciativa, proposta pela equipe comercial da Trend, foram as visitas virtuais. Com o isolamento e distanciamento social, as visitas presenciais foram suspensas até segunda ordem. “Nosso time deu a ideia de realizar encontros virtuais pela internet com as agências parceiras. Somente no mês passado, ´visitamos´ mais de 500 agências de viagens”, comemora

Já os Comitês de Clientes, eventos de relacionamento com a diretoria das principais agências por região do Brasil, seguem em maio. ”Esse tipo de encontro é muito importante para nós, pois além de ouvir o que eles têm para nos dizer, a gente também pode dividir um pouco do que estamos preparando.”

“Estar próximo do agente é um pilar da Trend e da CVC Corp. Queremos que todos eles saibam que podem contar com a gente nos momentos mais difíceis também”, afirma o diretor, que já vê um trade mais otimista e ávido pela retomada “Em março, a preocupação era reacomodar e reembolsar reservas. Hoje, a situação já é diferente. Já estamos vendo algumas buscas e emissões para os últimos meses do ano”, reitera.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA