Operadoras: nacional e Caribe são motores da retomada

|

Divulgação
Artur Luiz Andrade, da PANROTAS, Ana Santana, do Grupo Schultz, Cleiton Feijó, da Visual, James Giacomini, da Diversa Turismo, e Roberto Sanches, da Orinter
Artur Luiz Andrade, da PANROTAS, Ana Santana, do Grupo Schultz, Cleiton Feijó, da Visual, James Giacomini, da Diversa Turismo, e Roberto Sanches, da Orinter
O Portal PANROTAS iniciou hoje (27) uma nova série de lives chamada Retomada das Viagens. Mediada pelo editor-chefe da PANROTAS, Artur Andrade, a primeira edição contou com a participação de quatro operadoras para responder à seguinte pergunta: O que vender ao passageiro? Participaram Ana Santana, do Grupo Schultz; Cleiton Feijó, da Visual Turismo; James Giacomini, da Diversa Turismo; e Roberto Sanches, da Orinter. Em comum, as operadoras apontaram para as viagens regionais no Brasil e, internacionalmente, o destaque foram Caribe e Maldivas.

SCHULTZ

No Grupo Schultz, Ana afirmou que estão trabalhando muito bem as “escapadas”. “Estamos procurando hotéis e destinos que já elaboraram protocolos como parceiros. Ficamos reclusos, assim como os clientes, e eles estão ávidos para retornar para lugares próximos. Então estamos em contato com resorts próximos e desse o início de julho temos um plano de “escapadas” semanal. Temos liberado muitas promoções e procurado condições diferenciadas para os clientes”, afirmou.

A diretora da Schultz afirmou que no nacional o destaque é o Nordeste, destacando seus resorts e o Parque do Jalapão (TO). No internacional, apontou para o Caribe afirmando que os destinos estão “super envolvidos” no processo de construção dos protocolos e os produtos têm oferecido maior flexibilidade nas remarcações. hotéis com protocolos possuem um selo no portal e empreendimentos que não fizeram mudanças em sua política de remarcações estão bloqueados. “Estamos dando segurança e poder de negociação para o agente de viagens”, concluiu Ana.

VISUAL

Cleiton Feijó, da Visual, também apontou para o que ele chamou de “weekend escape” no nacional e Caribe no internacional pela facilidade de acesso. Mas chamou a atenção para Maldivas em valores que nunca foi comercializado e Dubai também. “Na parte de produtos, tem uma característica regional, do weekend escape. Nós já tínhamos esse produto, mas não divulgávamos as pousadas e hotéis butique. Estamos dando várias opções que trabalhem mais esse isolamento do passageiro, que são produtos mais afastados”, afirmou.

Feijó também indicou uma importância crescente dos nichos, como o LGBT e glamping; porque há todo tipo de passageiro querendo viajar. O glamping, acampamento com glamour, foi destaque por proporcionar uma experiência agradável e condizente com os novos parâmetros de distanciamento social, com atividades ao ar livre em praia, selva ou montanha. Em junho, a Visual lançou o segmento LGBT, com identificação no produto com o arco íris. E, em setembro, será lançada a Visual Cruzeiros, com um time de especialistas para realizar vendas assertivas.

DIVERSA

Já James Giacomini falou pela “caçula” do grupo, a Diversa Turismo, especializada no internacional, demonstrando surpresa pela demanda do nacional. “Apesar de sermos uma empresa nova, temos gente muito experientes aqui dentro. E para nossa grande surpresa, a demanda por nacional foi grande. Não havia essa identificação da Diversa com o mercado brasileiro e queremos proporcionar aos agentes de viagens alternativas diferentes e de curta duração”, afirmou.

De acordo com Giacomini, a Diversa criou várias alternativas e oferecerá produtos de acordo com demanda do mercado e lugares para onde o brasileiro possa viajar, respeitando bloqueios de fronteiras e disponibilidade de voos. Ainda assim, a operadora continua o trabalho junto ao Brand USA, promovendo os Estados Unidos, mas também apontou para Maldivas e o segmento LGBT como produtos que têm mostrado sinais de retomada mais imediatos.

Na próxima semana a Diversa inicia uma série de ações com a Brand USA, para preparar os agentes para o retorno das viagens aos Estados Unidos.

ORINTER

Por último, Roberto Sanches, da Orinter, também apontou para o nacional como motor desta retomada e afirmou que a presença da operadora em todo País, sua capilaridade tem ajudado a atender diversas regiões com viagens próximas. No internacional, Sanches foi mais um a citar a liderança do Caribe e a surpresa causada pelo sucesso de Maldivas. Para ele, todos os destinos estão apoiando o mercado e fazendo ofertas, porque sabem que precisam do agente de viagens, e a disponibilidade de operações aéreas tem regido este movimento de retomada também.

Roberto, assim como os outros representantes das operadoras, deram uma dica valiosa aos agentes para este momento: estar perto do cliente. “Se mantenha por perto! Se mantenha à disposição. Pergunta como ele está, se está precisando de apoio. Mostrar disponibilidade é uma grande vantagem por mostrar preocupação com o cliente”, afirmou Roberto. Ana Santana, do Grupo Schultz, ainda foi além e sugeriu aos agentes chamar o cliente para tomar um café, cada um em sua respectiva casa, ou escritório, claro.

Confira abaixo a live completa.


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA