Brasileiro comete menos 'gafes' em viagem entre latinos, diz pesquisa | Pesquisas e Estatísticas | PANROTAS
PESQUISAS E ESTATÍSTICAS

Brasileiro comete menos 'gafes' em viagem entre latinos, diz pesquisa

Pixabay/Domínio Público
Apesar da tecnologia móvel, erros ainda são comuns entre os viajantes
Apesar da tecnologia móvel, erros ainda são comuns entre os viajantes
Mesmo com o uso da tecnologia em smartphones e aplicativos, o turista ainda comete vários erros durante a sua viagem.

A série de gafes inclui os problemas com localização, erro de pronúncia de palavras do idioma local e uso de roupa inadequada ao clima do destino.

Uma pesquisa realizada pela Booking, com 20,5 mil pessoas de 28 países, revela que os brasileiros são os que menos erram entre os viajantes latino-americanos, pois 68% admitiram que cometem esse tipo de gafe. O Brasil ficou melhor posicionado que Argentina (73%), México (80%) e Colômbia (82%).

Os japoneses e os holandeses são os que menos cometem erros quando têm tecnologia, com 54% e 59%, respectivamente. Já oito em cada dez indonésios (85%) disseram se confundir mesmo utilizando o celular, seguidos por turistas da Índia (83%) e Taiwan (80%).

ERRO DE LOCALIZAÇÃO
O estudo mostra também que, apesar de estarem conectados e com qualquer informação, é comum que os viajantes se percam. Mais de um quarto dos brasileiros (27%) admite já ter entendido mal as instruções e confundido um caminho. Ainda assim, eles se perdem menos que os do México (30%), Argentina (31%) e Colômbia (34%).

Os que menos entendem errado as instruções são os holandeses (15%), russos (18%), belgas e alemães (empatados com 19%). Já os que mais passam por apuros nesse sentido são os viajantes de Hong Kong (51%), Taiwan (47%) e Espanha (37%).

IDIOMA
O estudo global descobriu ainda que dois em cada dez brasileiros já pronunciaram uma palavra errada no idioma local e 15% já caíram em alguma "armadilha" e pagaram mais do que deveriam. Outras falhas bem comuns entre os viajantes brasileiros são levar as roupas erradas na mala (16%), não ler avaliações antes de reservar uma hospedagem (14%) e ser mal-entendido ao fazer um pedido em um restaurante (13%).
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA