PESQUISAS E ESTATÍSTICAS

Economia compartilhada perde força em viajantes dos EUA, diz pesquisa

Pixabay
A cada ano que passa, mais serviços de economia compartilhada são desenvolvidos no mundo, abrangendo cada vez mais setores da sociedade, como transporte, gastronomia, hotelaria e varejo, por exemplo. Mas será que as pessoas realmente confiam nestas novas modalidades de compras? Um relatório divulgado pela Allianz Global Assistance mostrou que 53% dos norte-americanos não pretendem usar serviços desse tipo durante o próximo verão.

A pesquisa, que é realizada anualmente desde 2015, também indicou que 62% dos entrevistados consideram os prestadores de serviços de economia compartilhada “muito confiáveis” ou “de certa forma confiáveis”, representando uma queda de 3% em relação ao ano passado.

"Esta é a primeira vez que vimos declínio nas intenções de uso dos serviços de economia compartilhada, inclusive entre os millennials, o que é surpreendente. Os fornecedores de viagens que competem por este mercado devem aproveitar seus pontos fortes e corrigir suas fraquezas”, comentou o diretor de Comunicações da Allianz Global Assistance, Daniel Durazo.

Atualmente, 83% dos norte-americanos estão familiarizados com pelo menos um serviço de economia compartilhada. Esta taxa aumenta para 93% entre os millennials, faixa que vai dos 18 aos 34 anos de idade, mas o maior crescimento foi verificado entre os baby boomers (acima de 55 anos), que alcançaram 70% de familiaridade com os aplicativos em 2018, 13% a mais que em 2017 e 21% a mais que em 2016.

Apesar da maior propensão dos millennials ao uso desses serviços, 33% deles acreditam que os métodos tradicionais ainda oferecem a melhor experiência em geral, representando um crescimento de 11% em comparação com a pesquisa realizada em 2017. Também foi revelado que 38% pensam que os serviços tradicionais oferecem melhor suporte ao cliente e 26% consideram que oferecem produtos de melhor qualidade.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA