Viajantes querem flexibilidade, limpeza e atenção para crianças e pets

|

Unsplash/Ashwini Chaudnary
Protocolos de limpeza seguirão sendo requisitos para hóspedes
Protocolos de limpeza seguirão sendo requisitos para hóspedes
O Expedia Group publicou um levantamento com os pontos-chave que irão moldar as viagens no pós-pandemia, incluindo tendências emergentes em pesquisa e reserva, além de novas expectativas sobre transportes e experiências em hospedagem. A pesquisa, que chama “O que os viajantes querem em 2021”, ouviu 16 mil pessoas de 8 países diferentes: Austrália, Japão, França, Alemanha, Reino Unido, México, Canadá e Estados Unidos. O estudo foi realizado pela primeira vez em 2020 e rastreia as preferências dos viajantes com dados atualizados anualmente.

Diante do surto de covid-19, que alterou planos das pessoas no mundo todo, viajar ficou em segundo plano durante 2020. No início deste ano, no entanto, pesquisas domésticas e internacionais começaram a aumentar. A ânsia por viagens é alta, a ponto dos entrevistados afirmarem que, em troca de umas férias, deixariam por um mês de assistir esportes (41%), fazer compras on-line (39%) e usar redes sociais (37%). Além disso, 3 em cada 4 viajantes disseram que sair de férias os faria mais felizes do que ter um smartphone novo.

“O isolamento social, que já dura mais de um ano, reprimiu a demanda por viagens. Estímulos são esperados nesta temporada, quando muitos irão aproveitar o verão no Hemisfério Norte para curtir as férias que não puderam tirar no ano passado. Conforme nossa indústria se recupera, é crucial se destacar perante os viajantes que buscam novas experiências em acomodação”, afirmou a vice-presidente sênior de Marketing e Engajamento do Expedia Group, Melissa Maher.

PREFERÊNCIAS

Quase a metade dos viajantes (45%) considera visitar praias nos próximos 18 meses, enquanto mais do que um terço (36%) prefere ir a uma cidade grande e um terço (33%) optaria por uma cidade pequena. Independentemente do tipo do destino, um fator decisivo para os entrevistados é que esse local seja perto de casa e que dê para chegar de carro. Depois dos destinos próximos, as estadias longas, os tours e atividades ao ar livre e a visita a destinos únicos são os preferidos para as férias que virão.

REQUISITOS E MELHORIAS

Limpeza é o fator mais importante ao realizar uma reserva, segundo os entrevistados. Para quase a metade dos viajantes (42%), os protocolos sanitários aplicados são sim importantes. O fator flexibilidade foi o que mais cresceu em importância entre as pesquisas de 2020 e 2021. Cerca de dois terços dos viajantes (60%) dizem que evitariam uma reserva não reembolsável em troca de descontos na tarifa. Este dado representa uma mudança drástica em relação a 2020, quando dois terços dos entrevistados (66%) afirmaram que era provável que eles fizessem reservas não reembolsáveis.

O levantamento também pergunta sobre como a expectativa dos viajantes acerca da experiência em hospedagem impacta a reserva. Enquanto mais de 8 em 10 viajantes dizem que “há o que melhorar em hotéis ‘adaptados para crianças’”, cerca de três quartos (71%) afirmam que retornariam a um hotel que de fato tivesse atividades para os menores, e mais de um terço (34%) teria estadias mais longas.

Além disso, quase a totalidade dos viajantes (94%) acha que os hotéis que aceitam animais precisam melhorar. Investir em uma experiência “pet-friendly” é uma clara oportunidade para as propriedades: mais da metade (60%) diz que retornaria outras vezes, cerca de metade (42%) se hospedaria por mais tempo e quase um terço (31%) pagaria mais pela diária.

Ainda, mais de três quartos dos viajantes (77%) afirmam que a hospedagem escolhida deve ter amenidades-chave em tecnologia, com um terço (33%) dizendo que gastaria mais para ter internet de alta velocidade. Serviços de streaming são especialmente importantes: para a Geração Z (38%) e os Millennials (42%), para quem viaja com filhos e enteados (42%), e turistas do México (61%).

CONFIANÇA

A pesquisa também mostra a importância que os viajantes dão para a confiança. Propriedades que usam uma comunicação clara tendem a ter menos cancelamentos, hóspedes mais satisfeitos e melhores avaliações. Para 40% dos viajantes, as avaliações são ainda mais importantes agora do que eram antes da pandemia. Quase todos os entrevistados (91%) disseram que gerentes e proprietários deveriam responder a avaliações negativas.

“Embora as pessoas estejam animadas para viajar este ano, a forma com que elas pesquisam, reservam, viajam e se hospedam mudou. Nós queremos entender melhor o que os viajantes precisam para se sentir seguros nas férias pós-pandemia. Se estamos dispostos a ouvir e acatar as vontades dos viajantes, podemos todos caminhar para um novo capítulo da indústria de viagens, mais seguro e emocionante”, concluiu Maher.

Confira o estudo completo “O que os viajantes querem em 2021”.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA