Viajala investirá US$ 3,3 milhões no Brasil nos próximos 3 anos | Tecnologia | PANROTAS
TECNOLOGIA

Viajala investirá US$ 3,3 milhões no Brasil nos próximos 3 anos

Marcel Buono
O francês Thomas Allier, CEO e cofundador do Viajala
O francês Thomas Allier, CEO e cofundador do Viajala
Apenas há dois anos atuando no Brasil, o Viajala já percebeu o peso do mercado brasileiro para os seus negócios e decidiu reforçar sua presença nacional. Nos próximos três anos, o metabuscador especializado em passagens aéreas e hospedagens investirá US$ 3,3 milhões (cerca de R$ 13,6 milhões), focando nas áreas de marketing, tecnologia, infraestrutura e recursos humanos.

Em viagem ao Brasil, o CEO e cofundador do Viajala, Thomas Allier, contou à PANROTAS sobre os planos de desenvolvimento da empresa em curto e médio prazo. Com apenas cinco anos de existência, a expectativa de crescimento da startup é animadora, e nem as turbulências econômicas e políticas do País parecem preocupar suas metas por aqui.

“Para uma startup nova como a nossa, o cenário macroeconômico não pode ter tanta importância no desenrolar dos negócios, principalmente levando em consideração a volatilidade de mercados como os da América Latina. Faremos um investimento progressivo no Brasil e queremos dobrar nosso número de buscas em relação a hoje já em janeiro de 2019”, disse Allier.

Atualmente, cerca de 500 mil pesquisas são realizadas por brasileiros mensalmente pelo metabuscador, o que coloca o País como segundo maior mercado para a empresa, atrás apenas da Colômbia, onde se originou. Lá, a empresa acumula mais de um milhão de buscas mensais, marca que deve ser ultrapassada por aqui no próximo ano, de acordo com as previsões internas, mesmo com a presença de concorrentes estabelecidos há mais tempo.

“O grande desafio é se diferenciar das agências de viagens on-line. Somos um metabuscador que funciona de maneira rápida, intuitiva e que visa oferecer cada vez mais conteúdo para os usuários, personalizando as informações de acordo com cada mercado. É fundamental que a experiência de quem acessa o Viajala, tanto pelo computador como por tablets e smartphones, seja prazerosa e eficiente”, continuou o CEO, que destacou a parceria da empresa com a Amadeus para atingir os objetivos.

Marcel Buono
O CEO Thomas Allier ao lado de Eduardo Martins e Marianna D'Amore, da equipe Brasil
O CEO Thomas Allier ao lado de Eduardo Martins e Marianna D'Amore, da equipe Brasil
No Brasil, as buscas feitas pelo Viajala por meio de plataformas mobile subiram de 30% para 55% entre 2017 e 2018, reforçando a tendência do mercado e da sociedade por soluções ágeis e disponíveis nas palmas das mãos. Segundo informações da startup, a faixa etária majoritária entre seus usuários é a de 20 a 45 anos de idade.

“Entre janeiro e agosto deste ano, nosso tráfego orgânico triplicou, com destaque para as mulheres, que normalmente possuem papel fundamental no planejamento de viagens e representam 65% dos nossos usuários”, comentou o gerente do Viajala para o Brasil, Eduardo Martins.

PRINCIPAIS DESTINOS
De acordo com os dados divulgados, quase 17% do total de pesquisas da empresa são realizadas por brasileiros, sendo que São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Fortaleza e Recife aparecem como principais destinos domésticos, enquanto Lisboa, em Portugal, tem se destacado entre as opções internacionais.

Já entre os usuários da ferramenta na Colômbia, Argentina e Chile, o Rio de Janeiro lidera o ranking de destinos tupiniquins, seguido de São Paulo, Florianópolis, Salvador e Natal. Madri e Barcelona (Espanha), Cancun (México), Havana (Cuba), Roma (Itália), Lima (Peru), Buenos Aires (Argentina) e Paris (França) aparecem entre os destinos internacionais mais procurados.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA