AEROPORTOS

Infraero vai demitir 30% dos colaboradores até 2020


Divulgação/ Infraero
Além da redução no quadro de funcionários, Infraero também prevê a chance de venda parcial para a iniciativa privada
Além da redução no quadro de funcionários, Infraero também prevê a chance de venda parcial para a iniciativa privada
O plano da Infraero prevê uma redução de 30% no quadro de colaboradores até 2020. Segundo informações do jornal Valor Econômico, a redução de nove mil para cerca de 6,2 mil funcionários é uma realidade no governo, que pregará programas de demissão voluntária, cessão de servidores para outros órgãos públicos e até a transferência de atividade de navegação aérea para o Comando da Aeronáutica visando atingir seu objetivo.

O governo ainda pensa na possibilidade de vender parte da estatal, em um plano para que a mesma não dependa mais de aportes financeiros do Tesouro nos próximos anos. Desde 2013, a Infraero não se mostra mais como ponto lucrativo, mas sim como prejuízo aos cofres públicos após as licitações dos aeroportos mais eficientes financeiramente (GRU, VCP e BSB). Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ), por sua vez, não devem ser licitados.

Resumida no gerenciamento de tráfego aéreo, além das telecomunicações e metereologia, a navegação aérea é vista como deficiente, mas tem a transferência à Aeronáutica dependente de uma medida provisória.


*Fonte: Valor

conteúdo original: http://bit.ly/2DhS9po
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA