Trump é processado por obter 'vantagem ilegal' em hotéis

|

A lista de polêmicas envolvendo o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, cresceu hoje após os procuradores gerais do Distrito de Columbia e Maryland registrarem processos contra ele, alegando descumprimento a regras anticorrupção previstas na Constituição. Isso devido ao fato de hotéis administrados por Trump terem recebido milhões de dólares em pagamentos de governos locais e estrangeiros após o presidente assumir seu posto na Casa Branca.

Reprodução/Trum Hotels

O processo, noticiado hoje pelos principais jornais estadunidenses, baseia-se na escolha de Trump por manter a propriedade de sua companhia hoteleira enquanto exerce a presidência. Os pagamentos feitos por governos estrangeiros e locais aos empreendimentos caracteriza vantagem financeira ilegal e dão margem a possíveis subornos, afirmam os procuradores. Em sua defesa, o presidente afirmou em janeiro ter se afastado da administração dos negócios, deixando-a a cargo de um truste conduzido por seus filhos.

Os procuradores gerais Karl A. Racine, de DC, e Brian E. Frosh, de Maryland – ambos democratas – afirmam que Trump não cumpriu sua promessa de separar sua vida pública dos negócios pessoais. Uma evidência disso seria a declaração do filho do presidente, Eric Trump, dizendo que Trump continua recebendo informes regulares sobre a situação de suas empresas.

As autoridades estaduais afirmam ser essas “violações constitucionais sem precedentes”, que deixam Trump “profundamente enredado entre uma legião de atores governamentais domésticos e internacionais”, e por consequência deixando o país sujeito à influência econômica dessas partes.

Se admiti do pelo juiz federal que analisará a ação, esse processo deve ser mais um incômodo para o presidente estadunidense, e o mais significativo sob o ponto de vista judicial. Na esfera política, o mandatário segue lidando com acusações de conluio com o governo russo para influenciar os resultados da eleição que o levou ao posto.


*Fonte: The Washington Post

conteúdo original: http://wapo.st/2rrKzCi
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA