ECONOMIA E POLÍTICA

Harvey deixa mortos e fecha aeroportos no Texas; saiba

Reprodução/Nasa
Considerado o mais forte em 13 anos, a tempestade tropical Harvey, com fortes chuvas torrenciais e focos de enchentes em diversas área, já deixou seis mortes no Texas. Segundo o Serviço Nacional de Meteorologia (NWS), as coisas podem ficar ainda piores: é esperado um volume superior a 1,2 mil milímetros de chuvas para todo o Estado nos próximos dias.

Após chegar aos Estados unidos como um furacão nível 4, o Harvey foi "rebaixado" à categoria de tempestade tropical.

As inundações ameaçam a cidade de Houston, a quarta mais populosa dos Estados Unidos, e estão levando as autoridade a convocar voluntários com embarcações para resgatar pessoas presas em casas e edifícios. "Existe o potencial de inundações muito drásticas", afirmou o governador do Texas, Greg Abbott.

Já com cinco mortes confirmadas apenas em Houston, as autoridades acreditam que o número poderá crescer. Somente na última noite mais de mil pessoas foram resgatadas e o prefeito da cidade, Sylverster Turner, destacou que algumas ligações para o serviço de emergência não foram atendidas. "Casos que tenham maior ameaça para as vidas estão sendo priorizados", afirmou.

Constantemente, o NWS transmite as atualizações de possíveis inundações em diferentes pontos do Estado.

AEROPORTOS FECHADOS
O Houston International Airport (IAH) e o Houston Hobby Airport (HOU) estão temporariamente fechados por conta das inundações. Ao todo, mais de cinco mil operações que tinha como destino ou conexão a cidade foram canceladas — afetando significatimente a United Airlines e a Southwest Airlines. Todos os voos dos dois aeroportos foram suspensos ontem (27), às 12h do horário local, e não há indicação de quando as operações serão retomadas.

ESTADO DE EMERGÊNCIA EM LOUISIANA
Na manhã desta segunda-feira, o presidente Donald Trump declarou estado de emergência em Louisiana. Embora o trajeto da tempestade seja incerto, é previsto que ela também chegue ao Arkansas até sexta-feira (1).

Com o pedido de Trump, o governo federal deverá liberar fundos, além de coordenar operações, a fim de ajudar a população atingida através da Agência Federal de Gestão de Emergências (Fema). Em comunicado, a Casa Branca declarou que tais ajudas auxiliaram na recuperação da população local. "Autoriza-se a Fema a identificar, mobilizar e proporcionar a aliviar os impactos de emergência."


*Fonte: The Guardian, CNN, ATW On-line e O Globo

conteúdo original: http://bit.ly/2geWrIg
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA