CVC Corp foca em opções para o Turismo de proximidade

|

O atual mês de janeiro pode ser entendido como um pequeno resumo do que foram os últimos meses para a indústria de Viagens no Brasil, pelo menos de acordo com o que identifica uma das gigantes do setor, a CVC Corp, neste momento.

De acordo com a liderança da companhia, a retomada do Turismo vem sendo percebida nos últimos meses de forma gradativa principalmente pelos destinos nacionais, que especialmente neste mês concentram quase a totalidade da preferência dos brasileiros e embarques.

PANROTAS / Emerson Souza
Leonel Andrade, CEO da CVC Corp
Leonel Andrade, CEO da CVC Corp
"Embora janeiro seja tradicionalmente tido como mês de férias, os últimos meses alteraram as programações das famílias e pulverizaram os embarques a lazer ao longo dos meses subsequentes. Cem por cento dos hotéis, resorts e pousadas, locadoras de automóveis, companhias aéreas, parques e demais atrativos turísticos parceiros da CVC estão operando no Brasil, seguindo protocolos de segurança. A CVC segue realizando desde dezembro de 2021 operações temporárias de voos fretados rumo ao Nordeste, que é uma das regiões mais procuradas do Brasil nos meses de verão”, pontuaram os representantes da companhia.

A corporação identificou as viagens domésticas como principal alavanca para a retomada do setor ainda em 2020, quando a covid-19 começou a interferir na rotina de viagens. Já naquele momento as marcas do grupo começaram a construir e apresentar alternativas que compreendessem essa necessidade, dando maior ênfase ao Turismo de proximidade, incentivando viagens curtas.

Algumas possibilidades que foram enfatizadas para os clientes do grupo e que atendem aos quesitos de proximidade podem ser vistas a seguir:

1. Opções de hospedagem em residências (por meio de sua empresa VHC Homes Collection, que possui mais de 400 casas para locação, em regiões turísticas com condomínios residenciais ou com baixa ou nenhuma oferta hoteleira);

2. Locação de carros para viagens para destinos próximos;

3. Destinos de natureza, para parques nacionais e com opções de lazer em espaços ao ar livre;

4. E mais de 50 novas rotas regionais pelo Brasil, que combinam home office dos pais + lazer para as crianças, especialmente para destinos secundários pouco conhecidos.

Essas opções, inclusive, seguem sendo fortemente destacadas pela corporação e seus parceiros para o andamento de 2022.

ADAPTAÇÃO PARA DAR SEGURANÇA
Além de mostrar a diversidade de produtos que existem em seu portfólio, a estratégia da CVC de apostar nas viagens domésticas mostra um movimento de adaptação que o setor como um todo teve que ter.

Segundo aponta a liderança do grupo, a pandemia exigiu, desde o seu início em 2020, que as empresas de Turismo – sejam elas companhias aéreas, hotéis, empresas de receptivo e as operadoras e agências de viagens – fizessem adaptações em seus negócios, orientando-se cada vez mais ao consumidor, para a segurança do viajante e os protocolos de segurança e distanciamento social.

Desde então, regiões turísticas foram buscar certificações lançadas por órgãos internacionais e nacionais de segurança global, os "Safe Travels”, hotéis oferecem refeições em formatos adaptados, empresas de passeios e companhias aéreas, por exemplo, intensificam formas de embarcar e de viajar com a segurança como principal foco. “Na CVC, a prioridade é por fornecedores que tenham esse comprometimento, que sigam protocolos de segurança, que deve permanecer como prática constante nos próximos anos”, apontam os porta-vozes do grupo.

“E seguindo esse mesmo movimento, desde o início da pandemia, a CVC vem orientando seus clientes em relação aos destinos adquiridos, seguindo os protocolos de saúde e segurança estabelecidos pelas autoridades e agências de cada localidade”, complementam.

No momento, as únicas viagens vendidas pela CVC que contam com restrições temporárias de embarques no Brasil são os casos dos cruzeiros que acontecem pelo litoral brasileiro com saídas até 4 de fevereiro. Neste caso, a operadora segue a política das empresas que operam os navios – como MSC e Costa – que oferecem opções de reacomodação para datas futuras, sendo que as demais saídas da temporada permanecem inalteradas.

INTERNACIONAIS
Já os destinos internacionais estão em recuperação mais lenta, segundo observam os gestores da CVC. A volta mais gradativa das viagens para fora do País pode ser atribuída a um conjunto de fatores: pandemia, alta do dólar e inverno no Exterior, não sendo este o período tradicional de embarques de brasileiros.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA