Como proteger os viajantes em tempos de insegurança global

|

A ofensiva do Estado Islâmico sobre grandes cidades ocidentais, com ataques terroristas inclusive em aeroportos internacionais, gerou o aumento de medidas de segurança dos governos nos terminais aéreos. Entretanto, apesar de aumentar o cuidado com pessoas e seus pertences, a preocupação também torna, sob alguns aspectos, os passageiros mais vulneráveis ao terrorismo.

Mark Hodson/Flickr
Grandes filas nos aeroportos são visadas por terroristas em seus ataques

Como? Ficando mais tempo parados nas filas de segurança, por exemplo. Sabendo que a aglomeração tende a aumentar, os terroristas acabam visando essas áreas de acesso não controlado dos aeroportos, como mostram os atentados ocorridos em Istambul e Bruxelas.

Frente a isso, as empresas que enviam seus funcionários em viagens a negócio também precisam adotar novas medidas para garantir a segurança deles. O portal Business Travel News levantou algumas atitudes recomendadas nesse sentido, que listamos a seguir:

ENTENDER E ASSUMIR O RISCO
Empregadores possuem uma responsabilidade sobre seus colaboradores quando esses estão trabalhando, seja dentro ou fora da empresa. Portanto, a organização precisa estar atenta aos níveis de ameaça à segurança dos passageiros nas diversas localidades do mundo. Recomenda-se também fornecer um treinamento aos funcionários que forem a zonas de risco, ao menos ensinando-lhes as medidas básicas a se tomar se algo acontecer.

CRIAR ROTEIROS ADAPTÁVEIS
Quem viaja constantemente é acostumado a rígidos itinerários e agendas apertadas. Mas, se houver a maior possibilidade de atraso devido a medidas de segurança nos aeroportos, é importante, na medida do possível, criar brechas entre os compromissos que diminuam o prejuízo de algum tempo perdido.

Documentação regularizada é fundamental para não perder mais tempo que o necessário

DOCUMENTAÇÃO EM DIA
É um procedimento básico, mas cuidar das datas de validade de passaportes e vistos não deve ser esquecido nunca. Além disso, cabe analisar a viabilidade de recursos como o TSA Precheck, que, por uma assinatura fixa, agiliza a entrada dos viajantes nos aeroportos dos Estados Unidos, sem que seja necessário tirar sapatos e abrir computadores.

DIVERSOS CANAIS DE COMUNICAÇÃO
Sempre que há uma emergência, a prioridade inicial é estabelecer comunicação para saber se as pessoas no local estão em segurança. Caso seja difícil que as autoridades confirmem o estado de alguém, é importante ter combinada com o viajante uma forma de entrar em contato rapidamente nesses casos.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA