Classe economy premium está em ascensão em viagens corporativas

|

Um novo estudo da Carlson Wagonlit Travel em parceria com a Travelport revela que a classe econômica premium das aronaves é a que cresce mais rapidamente no segmento corporativo. A análise foi feita em cima de mais de 1,3 milhão de reservas entre janeiro de 2015 e dezembro de 2017, com a cidade de Singapura como ponto de origem.

Divulgação / United
O levantamento mostrou que o número de assentos na premium economy reservados para viagens a negócios aumentou a uma taxa média de 157% ano a ano. Em comparação, as reservas corporativas para as outras cabines tiveram uma queda ao longo desse período de três anos.

“É possível notar o apelo que a econômica premium tem para os programas de viagens a trabalho. A cabine dá aos viajantes o conforto extra necessário em comparação com a classe econômica em voos de médio e longa distância, ao mesmo tempo em que custa às empresas significativamente menos do que uma passagem de classe executiva”, afirma o diretor do CWT Solutions Group para Ásia-Pacífico, Richard Johnson.

A participação desses assentos como proporção total das reservas também aumentou constantemente. Em 2015, eles representaram apenas 1,23% do total das reservas de deslocamentos a trabalho e, ao final de 2017, totalizaram 7%. Já os lugares da classe econômica normal caíram para 54,46%, comparado a 60,27% em 2015.

“É interessante notar que o aumento nas reservas da economy premium parece ter ocorrido em grande parte às custas da cabine econômica e não da executiva. E isso faz sentido, considerando a tendência de que as empresas estão olhando além dos custos de uma viagem e prestando mais atenção ao conforto e à produtividade do viajante”, comenta Johnson.

Pelo lado da oferta, é nítido que as companhias aéreas estão cada vez mais vendo as oportunidades de negócio nessa cabine. Ao final de 2017, uma em cada cinco aéreas que voavam para Singapura oferecia a classe, com o serviço disponível em mais de 30% das rotas da cidade.

Em comparação com os outros assentos, a participação da econômica premium também aumentou a um ritmo constante. O número de lugares disponíveis como proporção total das companhias cresceu de 2,47% em 2015 para 3,55% no ano passado. Os dados sugerem, então, que as aéreas abriram espaço para essa cabine e reduziram a quantidade da primeira classe e econômica.


*Fonte: The Blue Swan Daily

conteúdo original: https://bit.ly/2MMNBNn
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA