Anywhere office e eventos híbridos são tendências do corporativo

|

Reprodução/Latam Experience
Latam Experience encerrou apontando tendências para a retomada com representantes de entidades
Latam Experience encerrou apontando tendências para a retomada com representantes de entidades
No último painel do Latam Experience, evento da Latam Brasil realizado entre ontem (14) e hoje (15), foi discutida a retomada do Turismo e as tendências de destinos para este momento. A sessão contou com Diogo Elias, diretor de Vendas e Marketing da Latam Brasil; Eduardo Sanovicz, presidente da Abear; Rubens Schwartzmann, presidente do Conselho da Abracorp; Juarez Cintra Neto, representante da AIRTKT; e Giovana Jannuzzelli, diretora executiva da Alagev.

Confira abaixo a visão dos convidados sobre viagens domésticas, anywhere office, viagens corporativas e eventos híbridos em uma conversa mediada pela jornalista Glória Maria.

REDESCOBERTA DO BRASIL

Para iniciar a conversa, Glória perguntou a Eduardo Sanovicz sobre o Brasil e a redescoberta de destinos domésticos. "O melhor do Brasil é a qualidade e diversidade de sua produção cultural e de sua oferta natural. É um País plural, com possibilidades amplas de gastronomia, arte e música", contou.

De acordo com o presidente da Abear, durante a pandemia, com as fronteiras internacionais fechadas, o brasileiro descobriu a facilidade de viajar pelo País, muitas vezes para destinos que ainda não conheciam. "Pessoas que conheciam nomes de ruas em Miami e Berlim não conheciam Bonito e Lençóis Maranhenses", explicou.

VIAGENS CORPORATIVAS

Em seguida, Giovana Jannuzzelli foi questionada sobre viagens corporativas e mencionou uma pesquisa que a Alagev realizou durante a pandemia que apontava para uma redução de 30% das viagens a negócios. No entanto, a executiva acredita que se fizer essa pesquisa novamente, após a notícia de reabertura dos Estados Unidos, estes resultados não se manterão e apontarão para uma disposição maior em viajar a trabalho. "Vivemos um período de pessimismo grande e agora temos injeções de otimismo diárias para nos motivar", explicou.

Seguindo a lógica, Rubens Schwartzmann acredita que o relacionamento, a visita ao cliente, a viagem corporativa passará a ser cada vez mais valorizada. "Percebemos durante a pandemia que alguns segmentos não pararam nunca, alguns inclusive viajaram mais do que viajavam normalmente. Depois, as empresas voltaram e viram que era seguro viajar. Também passamos pelo momento em que pessoas não queriam viajar a trabalho porque estavam confortáveis trabalhando de casa. E, hoje, podemos ver que isso passou. Não vemos mais as pessoas com essa fobia de viajar. A empresa vai voltar a viajar, senão o concorrente vai visitar o cliente e isso vai fazer diferença. O virtual não substitui todos os encontros presenciais", afirmou.

ANYWHERE OFFICE

Ainda no assunto viagens corporativas, Giovana comentou sobre o novo viajante híbrido que viaja para destinos de lazer com a família e trabalha de lá. "No anywhere office, os destinos de lazer passam a ser atraentes também para trabalhar. O viajante vai com a família, mas trabalha do hotel. Ainda é preciso entender para onde esse viajante vai, porque não é o mesmo perfil do viajante corporativo, é um novo perfil", explicou.

Diogo Elias complementou Giovana explicando que a Latam vem tentando identificar esse viajante e redesenhar sua malha. "Estamos começando a entender a demanda por estes destinos de anywhere office. Por exemplo, redesenhamos a malha de Congonhas, que costumava ser focada no corporativo, para o lazer, incluindo voos para Nordeste. Tem o voo para o Nordeste em Guarulhos e em Congonhas e tem funcionado muito bem", disse.

EVENTOS HÍBRIDOS

O último assunto do painel que finalizou o Latam Experience foi a tendência dos eventos: o modelo híbrido. "Os eventos híbridos já estão acontecendo e isso é um desafio. O coração de um evento é o conteúdo compartilhado. E no virtual, como ocorre esse compartilhamento? Para quem está acostumado com o presencial é difícil. Mas está aqui, continuaremos fazendo eventos híbridos e descobriremos maneiras de compartilhar", afirmou Sanovicz.

O presidente da Abear ainda acredita que a volta dos eventos corporativos é o que falta para restabelecer a malha doméstica completa. "Em setembro, a malha doméstica fechou 75% do número de voos do pré-pandemia. Grande parte é o lazer, seguido pelo novo anywhere office e depois o corporativo. Estou convencido de que esse quarto que falta é referente aos eventos corporativos. A nossa expectativa é reconstituir toda a malha doméstica até o segundo trimestre de 2022", concluiu.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA