Falta de estratégia e empatia são fraquezas do setor Mice

|


Jhonatan Soares
Durante a abertura do 2° Congresso Mice Brasil, que acontece hoje no Centro de Convenções Rebouças (SP), o VP comercial da Reed Exhibitions, Paulo Octávio (foto), ressaltou quais são os gargalos ainda encontrados no segmento Mice.

Entre eles estão a concorrência predatória, a falta de estratégia por parte das empresas, a falta de métricas para medir os resultados e também a falta de empatia entre os envolvidos.

“É preciso que as agências de viagens entendam o papel do comprador e vice-versa, pois se cada um ficar preso apenas ao seu nicho o mercado não evoluirá. Há ainda uma percepção de valor inadequada, já que muitas vezes o que para a agência está adequado não está para o comprador, e é aí que entra o diálogo, tão necessário para promover melhorias no setor”, ressalta Octávio.

Segundo ele, é preciso estar atento também às oportunidades que o setor oferece, como a busca por novos parceiros, o diálogo entre stakeholders e a possibilidade de o digital potencializar o contato pessoal, em vez de substituí-lo.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA