Pesquisa aponta valorização das viagens corporativas na China

|


Divulgação/CBTF
Elyes Mrad, da CITS American, e Connie Cheng, do escritório municipal de Turismo de Xangai
Elyes Mrad, da CITS American, e Connie Cheng, do escritório municipal de Turismo de Xangai
País com mais gastos em viagens corporativas no mundo em 2016, a China tem a atenção integral do mercado com seu potencial de crescimento para os próximos anos. Em meio ao Fórum de Viagens Corporativas da China (CBTF), realizado em Xangai, foram divulgados dados de uma pesquisa realizada pela CITS American Express Global Business Travel sobre o tema.

O comparativo entre 2017 e 2016 é animador para fornecedores do mercado corporativo. Se no ano passado apenas 17% dos executivos apostavam em aumentos de verba em suas empresas para viagens a negócios, esse valor subiu hoje para 31%.

Dentre os motivos para o aumento no orçamento, o mais citado (40%) foi a Belt and Road Initiative, projeto de infraestrutura que ligará comercialmente a China a países da África, Ásia, Europa e Oriente Médio. A obra tem o potencial de beneficiar 43% das empresas chinesas com programas de viagens internacionais e 21% das companhias com programas regionais.

“Os resultados da pesquisa deste ano são extremamente positivos”, comemorou o vice-presidente da CITS American, Kevin Tan. “É um forte indicador de que as organizações chinesas estão reconhecendo as oportunidades tanto domesticamente como na economia global.”

Um dos destaques que se pode tirar da pesquisa, segundo Tan, é a tendência de realocação do dinheiro gasto com viagens corporativas. “Isso é notado principalmente quando consideramos os números de organizações que possuem planos de redução de gastos com encontros internos. Está claro que as empresas continuam a reconhecer a importância dos encontros pessoais”, completa. Na pesquisa, 90% dos entrevistados relacionaram o aumento de viagens que promovam encontros pessoais a aumentos de receita.

Já a gestão de viagens corporativas também ganhou destaque dos respondentes. Para 46%, apenas a melhor gestão do quesito poderia resultar em economias de 10-20% nos gastos. “A pesquisa nos mostra que as empresas chinesas acreditam que é possível identificar maneiras de economizar em seus orçamentos para viagens corporativas, e que muitas delas pretender coloca-las em prática no próximo ano”, diz Tan.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA