Para GBTA, gestores deverão ser mais flexíveis em 2017; veja números

|

DENVER (ESTADOS UNIDOS) - Entre os muitos dados revelados pela Previsão Global de Preços do Setor de Viagens 2017, elaborada a partir de uma parceria entre a GBTA Foundation e a Carlson Wagonlit Travel (CWT), uma coisa é certa: os gestores de viagens devem ser mais ágeis e flexíveis em suas decisões no próximo ano. Isso porque uma série de incertezas paira sobre a economia global, forçando programas de viagens cada vez mais elaborados e preparados para situações que podem surgir (a exemplo do êxito do Brexit, que pegou o universo corporativo de surpresa).

Entre os riscos em potencial, a pesquisa destaca o rendimento dos mercados emergentes, as turbulências do mercado financeiro, os riscos geopolíticos, a incerteza em torno de como o mundo vai regir perante o Brexit, a potencial flutuação das taxas de juros nos Estados Unidos e o preço do petróleo.

Para a vice-presidente de Estudos da GBTA Foundation, Jeanne Liu, a previsão mostra que a indústria terá pequenos aumentos ou preços estáveis, mas “a chave para construir programas de viagens de sucesso será acompanhar de perto o panorama global e saber reagir”.


AÉREO

Os preços deverão ter aumentos de 2,5 % em 2017, enquanto as tarifas podem cair abaixo de 2015 em alguns mercados, devido aos preços do petróleo que permanecem baixos. A venda de ancillaries deve chegou a ocupar 7,8% nas receitas globais das companhias aéreas em 2015 ,contra 6,7% de 2014. A expectativa é que este produto siga em alta em 2017.

Ásia Pacífico: Embora a região preveja uma queda nos preços de 1,1%, espera-se que se mantenha estável em 2017, graças aos baixos preços do petróleo. No entanto, é provável que o Japão e Cingapura sofram um impacto significativo nos preços aéreos devido às projeções de taxas de câmbio de suas moedas.

Europa, Oriente Médio e África: observam-se diversas situações. No leste europeu está previsto um aumento de 4%, devido à concorrência limitada. Para a Europa Ocidental, espera-se um aumento de 0,5%. África e Oriente Médio devem crescer 2%.

América Latina e Caribe: previsão de queda dos preços em 1,9%. América do Norte: espera-se que os preços aumentem 3,7%. Há a previsão também de que as companhias aéreas reinvistam parte dos lucros provocados pela baixa do preço do petróleo na compra de novas aeronaves e melhoria de produtos.


Do Hotelhosteriaquellon.cl
HOTEL

As fusões hoteleiras estão dominando o segmento, mas o impacto dos preços, provavelmente, não será sentido até 2018. Os serviços dos hotéis, como o serviço de quarto, lavanderia e segurança continuam sendo importantes para os viajantes corporativos. Por outro lado, os hotéis tradicionais seguem sendo uma alternativa atrativa para os viajantes de negócio, apesar das opções oferecidas pela economia colaborativa.

Ásia Pacífico: Há previsão de uma pequena queda de 0,6%.

Europa, Oriente Médio e África: mais uma vez existem diferenças em função das áreas impactadas por incidentes geopolíticos, que podem influenciar nas tarifas. Além disso, os baixos preços de gás e petróleo estão fazendo que as viagens corporativas do setor caiam, principalmente no Oriente Médio, na África e Rússia. A previsão é que os preços baixem no Leste Europeu em 2,4%. Na Europa ocidental, os preços aumentarão 1,8% e no Oriente Médio e África as tarifas devem cair 0,5%.

América Latina e Caribe: previsão de queda dos preços em 0,9%.

América do Norte: no total, prevê-se que os preços dos hotéis cresçam 4% em 2017, mas a diferença entre as costas será notável. As cidades da Costa Oeste, como Seattle, Los Angeles, San José e Vancouver terão aumentos substanciais de um ou dois dígitos, devido ao boom da alta tecnologia e a escassez de quartos de hotel. Enquanto nas cidades da Costa Leste, como Nova York e Toronto, assim como a região petrolífera do Canadá enfrentarão um baixo crescimento ou uma pequena queda, devido a alta oferta de quartos de hotel.


Divulgação
TERRESTRE

Um clima de intensa competitividade determinará que os preços do setor de transporte terrestre se mantenham estável em nível global.

Ásia Pacífico: espera-se que os preços cresçam ligeiramente: 0,8%.

Europa, Oriente Médio e África: previsão de manutenção nos preços, com uma ligeira baixa de 0,1%, prevista na Europa Ocidental.

América Latina: os preços aumentarão cerca de 0,5%.

América do Norte: as previsões indicam que os preços se manterão estáveis em 2017.


Emerson Souza
EVENTOS

São esperados crescimentos moderados, com um pequeno aumento no custo diário por participante na Ásia Pacífico e América do Norte. São previstos que os preços na Europa se mantenham estáveis e baixem 10% na América Latina. O tamanho dos grupos crescerá em torno de 3 a 6% na Ásia Pacífico, Europa e América do Norte, enquanto seguem iguais na América Latina.

O Portal PANROTAS viaja com proteção Vital Card
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA