BCD Travel muda estrutura no Brasil, com foco na América Latina

|

Getty Images
BCD Travel faz mudanças na estrutura com foco na América Latina
BCD Travel faz mudanças na estrutura com foco na América Latina
Com o intuito de fortalecer ainda mais a atuação no Brasil, recentemente a BCD Travel fez mudanças expressivas em sua estrutura no País, com três executivos promovidos. A TMC agora conta com um novo vice-presidente para América Latina, além de uma nova diretora de Operações e diretor comercial focados nos negócios brasileiros.

Paul Barry continua como country manager para Brasil e Soely Oliveira como diretora de Relações com Fornecedores. Beat Wille, que anteriormente ocupava o cargo de country manager México, agora é vice-presidente sênior e diretor geral para México e América Latina. Mariana Krizak passou de head de Operações para diretora, área que estava com a posição na diretoria em aberto há pelo menos dois anos. Já Marcos Marques, head de Program Management, assume também a diretoria comercial.
Divulgação
Marcos Marques
Marcos Marques

“Estamos focando nos fatores que conseguimos controlar, na estabilidade, estratégia da companhia. Nos estruturamos ainda mais com a crise, criando um quadro mais forte e ágil. Nos sentimos também muito confortáveis com a estabilidade financeira da BCD, solidez financeira é fundamental para atravessar esse período. São tempos difíceis para todo mundo, por isso estamos ao lado dos nossos parceiros, fornecedores e clientes, para apoiar e ser apoiados”, comenta Marcos Marques.

Por meio de pesquisas globais e locais, a TMC passou a entender as expectativas e realidades de cada um dos stakeholders para saber a melhor forma de atender. Agora, com mais informações sobre a doença, vacina em vista, protocolos criados, foram criadas soluções, como o guia Back to Travel e portal com informações Information Hub, para ajudar no caminho dos gestores de viagens e viajantes corporativos.

“O ano de 2020 nos deu também a oportunidade de nos adaptarmos a um novo normal. Sempre tivemos uma política de flexibilização diante das necessidades dos clientes, mas o ano passado nos mostrou isso ainda mais. Focamos muito, além da inovação, no treinamento dos colaboradores, aproveitamos a queda de transações para nos organizarmos para quando tiver a retomada. O ano todo foi essa política de conscientização dos funcionários. Também caminhamos para a transformação digital, que só nos trará ganhos”, conta Mariana Krizak.

Estar próxima dos clientes foi um dos pilares para a empresa sobreviver na crise. Em 2020, a TMC registrou uma retenção de 98%, sendo de 99% no Brasil. Além disso, conseguiu superar as metas de vendas em 118%. Para passar por 2021, o foco seguirá sendo a prestação de serviço, retenção de clientes, estar próximo dos parceiros e stakeholders, manter os níveis e atingir os objetivos estabelecidos.
Divulgação
Mariana Krizak
Mariana Krizak

Na operação, a atenção principal de Mariana será melhorar a experiência do agente de viagens, concentrando na tecnologia e inovação, com ferramentas digitais adaptadas às mudanças recorrentes da pandemia. Continuar o engajamento interno, desenvolvendo os funcionários para que eles tenham posições de liderança ou mudança de departamento, também está no radar.

“Na área comercial é manter os níveis do que conseguimos nesses anos. Atingir e melhorar, falando sempre com foco na experiência do viajante e do gestor de viagens. Trabalhamos muito em conjunto com o comercial e operacional para que, no final, a satisfação de quem viaja e das empresas seja atingida. Essa reestruturação mostra o foco da BCD na região, além da importância e potencial do Brasil”, pontua Marques.

AMÉRICA LATINA
Com a indústria global de viagens totalmente afetada pelo novo coronavírus, a companhia vem ajudando os clientes a navegarem na nova realidade e a retomarem a confiança de volta. Neste sentindo, vem trabalhando fortemente como uma consultora, coordenando com as equipes globais para soltar informações ao mercado.

“Estamos trabalhando com um time bem-sucedido por muito tempo e, agora, com a minha mudança de cargo, assumindo como diretor executivo para América Latina, estamos cuidando de projetos e programas regionais, dando continuidade para entregar mais tecnologia à região, padronizando algumas plataformas de operação e dando suporte aos diferentes times”, explica Beat Wille, o novo country manager.

Divulgação
Beat Wille
Beat Wille
Apesar da queda nas transações, viagens internacionais praticamente paradas, restrições pelos países e diferentes decisões tomadas pelos governos que acabam impactando no Turismo, a empresa encontra-se em uma posição financeira estável e fechou 2020 com US$ 1,89 bilhão em vendas, com um recorde de novos clientes.

“Metade deste ano ainda será de uma recuperação devagar, com um quarto trimestre melhor, por conta do progresso da vacinação. Neste tempo, vimos muitas mudanças, com uma delas sendo o duty of care, que vem aparecendo como uma prioridade muito alta, especialmente na América Latina. Sempre esteve presente, mas não era o principal, comparado com EUA e Europa, por exemplo", conta.

Wille afirma ainda que a BCD tem um grande interesse global de investir na região latino-americana, com compromissos de investimento de longo prazo. Com uma rede bem construída que vai do norte ao sul do México, Costa Rica, Colômbia, Peru, Chile, Argentina e Brasil, a ideia é continuar apostando no potencial de crescimento, com mais investimentos vindo, assim que a indústria começar a retomada.


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA