EMPRESAS

Azul aumenta em 66% a oferta internacional em 2018; veja números

Divulgação/ Azul Linhas Aéreas
A320neo da Azul, responsável por voos para Córdoba e Rosário
A320neo da Azul, responsável por voos para Córdoba e Rosário

Após Gol e Latam, a Azul Linhas Aéreas revelou seus resultados operacionais para agosto, com números positivos em todos aspectos - demanda, oferta e ocupação. As operações internacionais, porém, merecem maior destaque.

A estreia de uma série de voos ao Exterior neste ano, a maioria com voos próprios e alguns por codeshare, resultou em um aumento de 48% na oferta interacional da Azul em assentos quilômetro disponíveis (ASK) neste mês na comparação ano a ano.

Entram nessa lista Córdoba, Rosário e Bariloche, na Argentina, Paris, na França, e Fort Lauderdale, nos Estados Unidos - uma ampliação dos voos para Bariloche também ajuda, mas apenas com voos sazonais (durante o inverno).

Por outro lado, ainda não houve tempo para que a demanda suprisse a alta da oferta ao Exterior. O índice passageiros quilômetros pagos (RPK) em voos internacionais subiu menos, 43,4%, resultando em uma queda de 2,8 pontos percentuais na ocupação - ficou em 85,7%.

No acumulado do ano, a alta da oferta internacional chega a 66,1%, pouco menos que o aumento da demanda, de 60,2%. A ocupação de 2018 até agosto, assim, ficou nos 87,1%, 3,2 pontos percentuais abaixo dos 90,3% da aérea até o mesmo momento do ano passado.

NO GERAL, CRESCE
Em números gerais, os resultados divulgados pela Azul foram positivos. O crescimento da demanda em RSK foi de 21,5%, sobrepondo o aumento da oferta de 20,3% em ASK. Como resultado, a taxa de ocupação da companhia foi de 82,4% em agosto, 0,8 ponto percentual acima do mesmo mês de 2017.

Boa parte disso se deve ao segmento doméstico, onde a alta da demanda foi de 14,6%, contra crescimento de 12,5% na oferta. A ocupação, assim, ficou em 81,2%, 1,5 ponto percentual acima dos 79,7% de agosto do ano passado.

No acumulado total do ano, a alta de demanda é de 17,1% contra aumento de 16,7% da oferta, configurando um ligeiro aumento na ocupação, de 0,2 ponto percentual (está em 81,9%).

Se considerar apenas o setor doméstico, a alta de 2018 até agosto na Azul foi de 6% na oferta, e 6,5% na demanda - aumento de 0,4 pontos percentuais na ocupação, que ficou em 80,2%.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA