China e Indonésia pedem inspeção nos 737 Max

|


Reprodução / Boeing
B737 Max 7
B737 Max 7
Após acidente com o Boeing 737-Max 8 da Ethiopian Airlines, que matou 157 passageiros no domingo passado, autoridades da Indonésia e China pediram inspeção imediata nos modelos operando nos respectivos países. Companhias aéreas da China e as duas da Indonésia (Garuda e Lion Air) não podem operar seus Max enquanto a inspeção não for feita. Outras empresas, como a Singapore Airlines, dizem estar monitorando a situação de perto.

Outro Boieng 737 Max, da Lion Air, caiu em outubro do ano passado, também matando todos os passageiros. A aeronave é a mais nova da Boeing, que decidiu adiar o lançamento do 777x, marcado para essa semana, em virtude do acidente da Ethiopian.

A Ethiopian Airlines comunicou que por ora vai descontinuar o uso das aeronaves do modelo. Veja carta na íntegra clicando aqui.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA