Brasileiros já podem ir ao Egito de Emirates novamente

|

Divulgação
Os passageiros provenientes do Brasil estarão sujeitos a um teste para covid-19 na chegada ao Egito
Os passageiros provenientes do Brasil estarão sujeitos a um teste para covid-19 na chegada ao Egito
A partir desta semana, os brasileiros já podem embarcar em voos da Emirates Airline para o Egito como destino final. A companhia estabelece que todos os passageiros devem fazer um teste PCR para a covid-19 ou apresentar um certificado de vacinação válido, além de enviar um formulário de declaração de saúde antes da chegada. Os passageiros provenientes do Brasil estavam proibidos de voar para o Egito como destino final com a Emirates desde o fim do mês de maio.

REQUISITOS DE ENTRADA
Os viajantes com certificado de vacinação para a covid-19 válido serão isentos do teste obrigatório, desde que o documento seja emitido por um laboratório credenciado no país de origem, que contenha um código QR legível e que não apresente alterações ou modificações. Além disso, é necessário que a vacinação (incluindo a segunda dose) tenha sido feita com 15 dias de antecedência da viagem.

Já os passageiros que não possuem um certificado de vacinação válido deverão portar uma versão impressa, emitida em inglês ou árabe por um laboratório autorizado, com resultado negativo no teste de PCR para a covid-19, realizado em até 72 horas antes da partida de seu voo direto final para o Egito. O certificado impresso de teste deve ser original e conter o carimbo do laboratório/hospital ou um código QR legível com os dados relevantes do passageiro, incluindo nome, número do passaporte, data e horário em que a amostra foi obtida e detalhes do tipo de amostra.

Assim que o cliente partir do Egito, o certificado de PCR para covid-19 será considerado expirado e não poderá ser utilizado para um voo de retorno ao país. Crianças menores de seis anos e passageiros em trânsito estão isentos do requisito de certificado de teste de PCR com resultado negativo.

REGRAS POR DESTINO DE ORIGEM
Todos os passageiros, independentemente do status de vacinação, que estiveram ou fizeram transferência no Brasil nos 14 dias antes da data de chegada no Egito estarão sujeitos a um teste ID Now para covid-19 na chegada. Viajantes com resultado positivo realizarão outro teste PCR e permanecerão no aeroporto até o recebimento do resultado. Caso o segundo teste também dê positivo, o passageiro será transferido para um hospital governamental e serão aplicados protocolos padrão para a covid-19.

A mesma regra é válida para os seguintes países: Argentina, Bangladesh, Belize, Bolívia, Butão, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, República Dominicana, Equador, El Salvador, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Índia, México, Mianmar, Nepal, Nicarágua, Paquistão, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, Sri Lanka, Suriname, Uruguai, Venezuela e Vietnã.

Todos os passageiros do Canadá, Austrália, Coreia do Sul, Japão, China, Tailândia, Nova Zelândia, América do Norte e América do Sul, que estejam transitando por London Heathrow, Paris, Roma e Frankfurt, podem apresentar um certificado de teste de PCR para covid-19 realizado até no máximo 96 horas antes da chegada no Egito.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA