Direção da Delta detalha política e ações sustentáveis

|

Divulgação
A Delta tem o compromisso de substituir 10% do combustível de aviação convencional por SAFs até o final de 2030
A Delta tem o compromisso de substituir 10% do combustível de aviação convencional por SAFs até o final de 2030
À frente da política de ações sustentáveis da Delta, a diretora geral de Sustentabilidade da companhia, Amelia de Luca, destacou as principais ações tomadas pela empresa no sentido de mitigar o impacto ambiental da operação. Os apontamentos da executiva já antecipam muitos dos temas que devem ser debatidos na Conferência das Nações Unidas Sobre Mudanças Climáticas (COP26), que ocorre em novembro.

“No ano passado, nos tornamos a primeira companhia aérea neutra em carbono em uma esfera global. Estamos comprometidos com a neutralidade de carbono desde março de 2020, equilibrando nossas emissões com investimentos para remover o carbono em nossas operações globais”, apontou a executiva.

De acordo com ela, a empresa adotou como compromisso a neutralidade de carbono e divulga isso como um valor a ser multiplicado com seus clientes. “Sabemos o valor que as viagens trazem para nossas vidas e nos dedicamos a tomar as medidas urgentes necessárias para construir um futuro mais sustentável para os voos”, afirmou.

No relato da diretora de Sustentabilidade, ela fala sobre as realizações do mês de setembro, quando, segundo ela, a corporação deu um grande passo na jornada de sustentabilidade ao anunciar metas novas e mais ambiciosas, acelerando os compromissos atuais e construindo novas parcerias para avançar em direção a um futuro com uma aviação de impacto zero.

Entre as ações práticas que a Delta tomou para tornar a sua operação mais sustentável estão alguns programas e políticas listados a seguir:

NOVOS (E RENOVADOS) COMPROMISSOS
A Delta trabalhou na definição de uma meta com base científica. “Estamos alinhados em definir uma meta com base na ciência, que serve como nosso caminho para melhorar a maneira e a intensidade com que lidamos com o carbono de nossas operações. Estamos agindo em estreita colaboração com a iniciativa de Metas Baseadas na Ciência (Science Based Target Iniciative – SBTi, na sigla em inglês), uma parceria global composta por organizações não governamentais altamente respeitadas que trabalham com empresas para ajudá-las a alinhar seus esforços com as diretrizes do Acordo do Clima de Paris”, informou Amelia.

Divulgação
Amelia de Luca é diretora geral de Sustentabilidade da Delta
Amelia de Luca é diretora geral de Sustentabilidade da Delta
A dirigente ainda garantiu que a estrutura da companhia continuará colaborando enormemente com o SBTi para avançar o trabalho já em andamento e desenvolver um novo objetivo de emissões em seu negócio para limitar os piores efeitos às mudanças climáticas.

Outra parte da estratégia da Delta tem a ver com o compromisso de apoio para a produção de SAF em escala. “No momento, o combustível de aviação é a única opção viável para que os aviões voem na escala necessária. Em sua forma atual, o combustível é o maior obstáculo do setor para a descarbonização e o foco principal de nossos esforços de redução de emissões”, afirmou a executiva. Em 9 de setembro, a aérea se uniu aos participantes da indústria em um evento virtual da Casa Branca, no qual concordou em ajudar a desenvolver o mercado de combustível de aviação sustentável. “Temos o compromisso de substituir 10% do combustível de aviação convencional por SAFs até o final de 2030”, disse.

NOVAS COALIÇÕES + PARCERIAS

Amelia também lembrou do projeto Race to Zero + Global Citizen. “Você pode ter nos visto no evento Global Citizen Live nas cidades de Nova York e Paris, onde, junto de parceiros de todo o mundo, nos unimos em direção a objetivos comuns de defender o planeta e derrotar a pobreza. No palco, anunciamos a adesão à campanha Race to Zero (Corrida Rumo ao Impacto Zero, em tradução livre), das Nações Unidas, a maior aliança já formada para zerar as liberações de carbono até 2050”, lembrou.

Na lista de acordos da Delta há também a coalizão Clean Skies for Tomorrow (Céus Limpos pelo Amanhã). Esse trato foi organizado pelo Fórum Econômico Mundial e une empresa a um grupo global de companhias aéreas, aeroportos, fornecedores de combustível e outras partes interessadas da indústria para acelerar a distribuição e o uso de SAF.

O grande plano da Delta engloba também a coalizão LEAF, uma iniciativa global que reúne agentes públicos e privados para acelerar os esforços de modo a reduzir e acabar com o desmatamento tropical até 2030. “A participação da Delta ajudará na mobilização para proteger as florestas tropicais e garantir créditos de carbono de alta qualidade para apoiar nosso compromisso de ser uma empresa aérea neutra em carbono”, afirmou Amelia.

Os detalhes das ações da Delta rumo ao melhor desempenho sustentável estão AQUI.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA