Aéreas falam sobre retomada e importância das parcerias

|

O segundo dia de Fórum PANROTAS contou logo pela manhã com um painel importante sobre a recuperação da malha aérea internacional no Brasil. Apesar de o surgimento da variante ômicron trazer de volta a preocupação, o setor de Turismo e Viagens já vê a retomada acontecendo, com diversas companhias aéreas recuperando suas operações.

PANROTAS/Gute Garbelotto
Painel com Renato Hagopian (Qatar Airways), Eduardo Bernardes (Gol), Luciano Macagno (Delta), Christophe Didier (Copa Airlines) e Gonzalo Romero (Air Europa) foi mediado por Artur Andrade, da PANROTAS
Painel com Renato Hagopian (Qatar Airways), Eduardo Bernardes (Gol), Luciano Macagno (Delta), Christophe Didier (Copa Airlines) e Gonzalo Romero (Air Europa) foi mediado por Artur Andrade, da PANROTAS
O bate-papo contou com a participação do vice-presidente global de Vendas e Distribuição da Copa Airlines, Christophe Didier, o vice-presidente de Vendas e Marketing da Gol Linhas Aéreas, Eduardo Bernardes, o diretor geral Brasil da Air Europa, Gonzalo Romero, o managing director, Latin America, Caribbean & South da Delta Air Lines, Luciano Macagno, e o diretor para América Latina da Qatar Airways, Renato Hagopian. Os executivos trouxeram uma série de informações sobre suas companhias aéreas e a jornada na pandemia de covid-19. Confira abaixo os principais pontos.

VAI TER VOO DA QATAR PARA O RIO?
“O Brasil é um mercado que obviamente vai levar muitos viajantes para a Copa do Mundo no Catar, mas nesse momento não consigo afirmar o que será, para onde vamos. Existe um planejamento, temos planos de desenvolvimento para o Brasil, mas não consigo afirmar sobre este voo com tanta assertividade”, comenta Hagopian.

POR QUE A GOL VOARÁ PARA OS EUA SOMENTE EM MAIO?

“Estamos com bastante cautela na nossa retomada internacional. Já voltamos para Montevidéu, Cancun, Punta Cana e temos programação para voltar aos Estados Unidos em maio, com nossa operação de Brasília para Miami e Orlando. Já operamos para os EUA, uma vez que nossa parceria com a American Airlines permite que a gente ofereça produtos da AA em todos os nossos canais, com condições bem diferentes. O ponto importante é que a operação oferecida por nós em conjunto com a AA oferece 27 voos semanais e a partir de fevereiro chega a 54, maior quantidade de voos que ela já teve no Brasil para os EUA em uma semana”, conta Bernardes.

DELTA JÁ TEM COUNTRY MANAGER PARA O BRASIL?
“Country manager é importante, mas, com a equipe que temos, estou muito tranquilo, assim como com o resultado que estamos tendo no País. Não temos ainda, mas não estamos com falta de liderança e estamos muito bem cobertos com a gerência de Vendas de Danilo Barbizan. Até o final do ano devemos ter novidades, mas estamos fazendo todo o trabalho que deve ser feito”, pontua Macagno.

COMO ESTÁ A VENDA DA AIR EUROPA?
No início deste ano, o International Airlines Group (IAG) concordou em comprar a Air Europa por 500 milhões de euros (US$ 606,7 milhões), depois que a pandemia de covid-19 cortou o preço pela metade – sendo de 1 bilhão de euros anteriormente.

“As informações que temos são as públicas, de conhecimento geral. O processo ainda está em avaliação pelas autoridades europeias, não temos mais informações sobre isso. Mas, paralelemente, nossa companhia continua voando muito forte e já recuperamos 20 destinos que voávamos para Madri”, afirma Romero.

COMO ESTÁ O HUB DO PANAMÁ DA COPA AIRLINES?
“Acredito que o sucesso da Copa vem do fato de que, hoje, não há lugar mais conveniente e rápido para conectar. Não há como perder uma conexão de 35 minutos, por exemplo, pois não tem imigração ou alfandega, você vai de um portão para o outro. A vantagem é essa facilidade. Além disso, estamos investindo na nossa frota e já temos 13 Boeing 737 Max na frota e encomendamos outros 71. A virada de jogo será a nossa nova classe executiva lie-flat. Todos os Max com essa cabine voarão para rotas importantes, como São Paulo, Buenos Aires, Montevidéu, Los Angeles e San Francisco”, diz Christophe.
PANROTAS/Gute Garbelotto
Edu Bernardes, da Gol
Edu Bernardes, da Gol

PARCERIAS
Um tema em comum levantado por todas as companhias aéreas foi a importância das parcerias não só nesta retomada, mas desde antes da pandemia. Por meio de acordos, as transportadoras conseguem acessar destinos que não seriam possíveis. É um movimento importante de complementaridade.

“Com a parceria conseguimos trazer para os clientes o que antes não era possível. Abrimos recentemente codeshare compartilhado com a Latam e já de imediato estamos trazendo mais competitividade, seja para agentes de viagens, para corporativo, venda direta... Este lançamento está trazendo clientes de todo o mundo que antes não conseguiam acessar algumas rotas”, diz Macango.

A parceria da Gol com a Air France-KLM também foi bastante ressaltada pelo vice-presidente de Vendas e Marketing da aérea brasileira. Com quase oito anos de existência, a relação entre as empresas é baseada na palavra “desprendimento”.

“Cada companhia tem suas políticas, seu posicionamento de marca, seus produtos. Com modelos de negócios um pouco diferente, precisamos desse desprendimento que começa com a liderança e vai para todos os times. E isso só é possível pela integração de todas as equipes. Tudo o que oferecemos é muito debatido e alinhado.”


O Fórum PANROTAS 2021 conta com a aliança institucional da CNC Sesc Senac e patrocínio da Accor, Air Europa, AM Resorts, Ancoradouro, Argentina, Aviva, Beach Park, Best Western Hotels & Resorts, Cep Transportes, Coris, CVC Corp, Delta Airlines, Elo, Expo Center Norte, Expo Telecom, Gol Air France-KLM, GTA Assist, Iberia British Airways, Iberostar, Localiza, Mondiale Operadora, Omnibees, R1 Audiovisual, Reserve, Royal Palm Hotels & Resorts, Sabre, Sebrae, Tes Cenografia, Tour House, Vice Versa, Villa Blue Tree, WAM Hotéis, 42Labs e participação da Catalunya e do Fundtur MS.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA