Perto da oferta de 2019, Latam diz que será competidor violento da Azul

|


PANROTAS/Gute Garbelotto
Jerome Cadier, CEO da Latam Brasil
Jerome Cadier, CEO da Latam Brasil

A Latam Brasil prevê recuperar 95% de sua malha doméstica em dezembro e garante estar pronta para a alta temporada. Neste último mês de ano, a companhia aérea terá 583 voos domésticos diários para 49 aeroportos brasileiros, cinco a mais do que os 44 operados no mesmo período pré-pandemia.

A companhia, que liderou o ranking de passageiros domésticos nos últimos três meses, de acordo com o ranking da Anac, diz estar mais eficiente, o que dá possibilidade de crescimento no Brasil. Em dezembro, inaugurou operações em Jericoacoara (CE) e Vitória da Conquista (BA). Para o primeiro trimestre de 2022, já iniciou as vendas de passagens para Bauru (SP) e se prepara para abrir muito em breve as vendas para Juiz de Fora (MG), Cascavel (PR), Caxias do Sul (RS), Presidente Prudente (SP) e Sinop (MT). Em paralelo, já estuda outros 10 destinos para inaugurar no restante do ano no País.

Já no internacional, a Latam retoma em dezembro a metade (49%) da sua oferta internacional de assentos (ASK*) em relação a dezembro de 2019, com voos restabelecidos para 19 destinos. No início deste mês, voltou a voar para Orlando, Milão e Londres e já anunciou que retomará em janeiro de 2022 o voo para Punta del Este.

COMPETIDOR VIOLENTÍSSIMO CONTRA A AZUL

O CEO Jerome Cadier, falou durante o 18º Fórum PANROTAS que a Latam Brasil é "outra companhia". Ele está animado e confiante que sairá do processo de Chapter 11 como uma companhia muito mais forte, reestruturada, e que a Latam já começará a dar voos bem altos, em função dessa reestruturação, de um maior zelo administrativo e da parceria estratégica com a Delta Air Lines.

Em entrevista ao portal NeoFeed, Jerome Cadier voltou a falar sobre as investidas da Azul em sua empresa. A Azul disparou com voracidade sobre as intenções de comprar o Grupo Latam. No entanto, a aérea de Cadier alegou que as propostas da concorrente são acima do limite razoável..

Agora, ao NeoFeed, Cadier disse que "a Azul sabe muito bem, mais do que ninguém, que a Latam sai desse processo incrivelmente mais competitiva do que entrou". Ele disse ainda que a Azul está tentando complicar o processo de saída da Latam do Chapter 11, "colocando uma cortina de fumaça enorme sobre uma proposta que, para mim, é absolutamente inexequível desde o dia 1".

Por fim, Cadier disse na entrevista ao NeoFeed que "a Latam será um competidor violentíssimo contra a Azul. Então podem tentar comprar ou atrapalhar o nosso processo de Chapter 11, mas que falta profundidade nas análises, sejam das pessoas que ouvem essa história, sejam dos analistas".
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA