COMER E BEBER

Família aposta em olivoturismo em Gramado; conheça o projeto

A cidade de Gramado (RS) tem apenas cerca de 35 mil habitantes, mas seu apelo turístico é tão grande que recebe milhões de turistas todos os anos, sendo um dos destinos mais visitados do Brasil. A partir do próximo mês, um empreendimento será inaugurado para aumentar o leque de atrativos que o município da Serra Gaúcha oferece, e os fãs de azeitonas e azeites vão adorar. Trata-se das Olivas de Gramado.

Marcel Buono
Pedro Bertolucci, dono da propriedade e ex-prefeito de Gramado (RS)
Pedro Bertolucci, dono da propriedade e ex-prefeito de Gramado (RS)
O projeto inédito na região foi desenvolvido pela família Bertolucci, tradicional na cidade, e tem como objetivo “resgatar a alma de Gramado”. No total, são 158 hectares de área, sendo mais de 80% composta por Mata Atlântica original. A sustentabilidade, por sinal, é um dos pontos fortes do empreendimento.

“Estamos trabalhando para fazer algo diferente, que deixou de existir por aqui, e resgatar as origens de Gramado. Com o rápido desenvolvimento da cidade, a natureza muitas vezes acabou ficando de lado em muitos projetos que foram criados. O nosso lado rural tem se perdido um pouco”, comentou o dono da propriedade, Pedro Bertolucci, que já foi prefeito do município.

Mais de 12 mil pés de oliveiras foram plantados na área que está localizada sobre uma enorme mina de quartzo branco a cerca de 20 minutos do centro de Gramado. Seis espécies da planta foram utilizadas, sendo duas com o objetivo de cultivo e comercialização de azeitonas e quatro para produção de azeites de alta qualidade. Nos próximos meses, um lagar próprio (para espremer e processar as azeitonas) ainda será construído na propriedade.

“Realizamos viagens para países como Grécia, Portugal e Espanha para entender mais sobre os processos que envolvem a olivocultura e decidimos fazer essa experiência ousada aqui. Queremos desenvolver o olivoturismo de maneira semelhante como aconteceu com o Turismo dos vinhos na região. O projeto resgata a cultura de raiz e visa aliar sustentabilidade com rentabilidade”, explicou o turismólogo Daniel Bertolucci, filho de Pedro.

INAUGURAÇÃO FASEADA

Construída em uma área que está ligada diretamente às origens da cidade, as Olivas de Gramado terão seu primeiro evento oficial (Ô Churras) no dia 8 de dezembro, mas sua primeira colheita está prevista apenas para março de 2019. Enquanto a produção de azeites não começa, outras atrações farão parte do local, como uma mini fazenda para crianças, trilhas e degustações.

“Teremos passeios a cavalo ou de quadriciclo em meio à natureza, restaurante com ingredientes colhidos de maneira 100% orgânica na propriedade, loja para os visitantes e estamos conversando com escolas locais para atrair atividades educacionais. No futuro, teremos arvorismo e queremos construir algumas cabanas de luxo para que os turistas possam se hospedar nas Olivas de Gramado”, revelou Daniel.

Como parte do projeto que tem a sustentabilidade como uma de suas bases, cisternas foram instaladas para o reuso de água e as estruturas de madeira foram construídas com araucárias de reflorestamento. As feitas de pedra utilizaram matérias primas do próprio terreno, que, inclusive, permite que os visitantes do Olivas de Gramado encontrem até cinco tipos de cristais durante caminhadas.

Confira as fotos da visita da PANROTAS ao Olivas de Gramado:
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA