Prefeitura multa e interdita área de eventos do Copacabana Palace

|

Divulgação
belmond copacabana palace
belmond copacabana palace
O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, cogitou, na semana passada, o retorno dos grandes eventos à cidade, seguindo regras e protocolos que seriam definidos por um decreto. Hotéis podem realizar eventos nessa fase da pandemia, desde que "sigam os protocolos determinados", como distanciamento físico durante o evento (nada de aglomeração), uso de máscara em determinados momentos e locais e capacidade reduzida.

Mas quem é o responsável pelo cumprimento e fiscalização dos protocolos? O hotel? O organizador do evento? O cerimonial do evento? A Prefeitura? Neste final de semana, o Belmond Copacabana Palace, ícone da hotelaria de luxo no Rio, foi palco de evento polêmico, para cerca de 500 convidados, que teria promovido aglomeração na entrada e descumprido protocolos de saúde e segurança durante o encontro. A Prefeitura anunciou que multará o hotel em mais de R$ 15 mil por "infração sanitária gravíssima". E o espaço de eventos fica interditado por dez dias.

No evento, artistas como Ludmilla, Mumuzinho, Alexandre Pires e Gusttavo Lima estavam presentes e os shows apresentadps atraíram pessoas para perto do palco, causando aglomeração.

Confira abaixo nota da AGÊNCIA BRASIL

"A prefeitura do Rio de Janeiro multou o Copacabana Palace em R$15.466,81 por infração sanitária gravíssima devido à constatação de aglomeração em festa ocorrida na noite da última sexta-feira (14). Também foi determinada a interdição para realização de festas no hotel, localizado na orla de Copacabana, por um período de 10 dias a contar de ontem (15).

Na noite de sexta-feira, a Secretaria de Ordem Pública e a vigilância sanitária realizaram fiscalização no Copacabana Palace, mas não identificaram nenhuma infração durante a permanência dos agentes municipais.

Em nota, a secretaria informou que, neste sábado, após análise de imagens divulgadas pela imprensa e pelas redes sociais, a vigilância sanitária constatou desobediência às medidas determinadas por decreto municipal de enfrentamento à pandemia de covid-19, em vigor até 20 de maio.

“Nas referidas imagens, foi constatada aglomeração generalizada em frente à apresentação musical, caracterizando pista de dança. Os convidados não usavam máscara facial e não respeitavam o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre os participantes. Na entrada do estabelecimento, as imagens também evidenciaram aglomeração em fila de espera e acesso desordenado ao local”, informou a pasta.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do hotel e aguarda posicionamento."
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA