AGÊNCIAS DE VIAGENS

Despegar/Decolar chega a R$ 14,5 bi em vendas em 2019


Divulgação/Despegar
Damian Scokin, CEO da Despegar
Damian Scokin, CEO da Despegar

Maior OTA da América Latina, a Despegar (Decolar no Brasil) atingiu US$ 1,2 bilhão em vendas no terceiro trimestre do ano, ou quase R$ 5 bilhões, um aumento de 26% sobre 2018. A receita líquida foi de US$ 132 milhões, aumento de 19%.

No acumulado do ano as vendas chegaram a quase R$ 14,5 bilhões (sua maior concorrente, a CVC Corp, atingiu R$ 12,6 bilhões no mesmo período), com o Brasil respondendo por cerca de 40% desse total (no terceiro trimestre 39%, consolidando-se como maior e principal mercado para a OTA). As vendas no Brasil no trimestre cresceram 15% e as transações 3%, indicando aumento de tarifa média, especialmente aérea. Na Argentina as transações caíram 4% e as vendas 11%. Nos demais países crescimento de 12% e 13%, respectivamente. A OTA teve um prejuízo de US$ 3,7 milhões no trimestre.

O CEO da Despegar, Damian Scokin, que é um dos palestrantes confirmados na próxima edição da Conferência Phocusright, na semana de 21 de novembro, em Fort Lauderdale, na Flórida, disse que está entusiasmado com a performance da empresa e credita parte desse resultado ao rebranding realizado no começo do ano.

Ele também se disse animado com dois acordos assinados recentemente: a conexão via API com o Trip.com Group (antigo Ctrip, da China), integrando a oferta de hospedagem na América Latina à plataforma da gigante chinesa, e o acordo de dez anos com o Banco Comercial e Industrial da China, para lançamento de um cartão co-branded na Argentina, em parceria com a Mastercard, movimento que visa ao lançamento de um programa de fidelidade no país no próximo ano (no Brasil o programa já existe).

Pacotes, hotéis e outros produtos foram responsáveis por 42% das transações da Despegar no terceiro trimestre, com estabilidade em relação ao mesmo período de 2018, mas crescimento de 14% em receita. O segmento foi responsável por 61% das vendas, mais que os 58% de um ano atrás, mostrando uma menor dependência do aéreo.

De todas as transações, 39% foram completadas no aplicativo da Despegar, que já chegou a 57 milhões de downloads.

O EBITDA da OTA ficou em US$ 9,4 milhões (cerca de R$ 40 milhões), queda de 35% em relação ao mesmo trimestre do ano passado. O NPS na região cresceu 150 bps.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA