ECONOMIA E POLÍTICA

Doria promete rio Pinheiros limpo, como um Puerto Madero em SP

Marcel Buono
João Doria, ao centro, em coletiva realizada no Palácio dos Bandeirantes
João Doria, ao centro, em coletiva realizada no Palácio dos Bandeirantes
O governador de São Paulo, João Doria, apresentou um projeto estadual que visa tornar o Rio Pinheiros “limpo” até o fim de 2022, na manhã desta segunda-feira (2), em coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes. De acordo com ele, as margens do rio poderão ser transformadas em uma espécie de Puerto Madero, região revitalizada e hoje turística de Buenos Aires, na Argentina.

“O rio Pinheiros será navegável até o fim de 2022 e a região onde fica a Usina Elevatória de Traição será um novo polo econômico e cultural de São Paulo. O plano prevê um grande centro de entretenimento no local, com bares, restaurantes, lojas e atividades esportivas. Queremos algo como aconteceu em Puerto Madero, na vizinha Argentina”, prometeu João Doria.

Flickr
Região do rio Pinheiros que conta com Usina Elevatória de Traição
Região do rio Pinheiros que conta com Usina Elevatória de Traição
Segundo o governador, cerca de R$ 2,5 bilhões serão investidos no projeto de despoluição do rio Pinheiros, contando com o financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), que faz parte do Banco Mundial. Duas passarelas para pedestres e ciclistas também serão construídas com o apoio da iniciativa privada.

Ainda durante a apresentação, Doria fez questão de deixar claro que as águas do Pinheiros não serão propícias ao nado, muito menos ao consumo pessoal, o colocando dentro de parâmetros internacionais de “rio limpo” em grandes centros urbanos. O projeto, que será desenvolvido pela Sabesp, ainda prevê a despoluição do rio Tietê até 2026.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA