Conselho da CNC recebe ministro e debate Turismo no pós-pandemia

|

Nesta quarta-feira (5), o Conselho Empresarial de Turismo da CNC (Cetur) promoveu a segunda live da série “Turismo em Movimento”, com a presença do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, e do diretor do Cetur e presidente da FBHA, Alexandre Sampaio. No encontro, os participantes destacaram as ações realizadas em prol do setor durante a pandemia e as perspectivas para o pós-pandemia.

A live do Cetur faz parte da série
A live do Cetur faz parte da série "Turismo em Movimento"
O ministro ressaltou a evolução do Turismo brasileiro antes da crise causada pela covid-19, mostrando que o setor cresceu mais do que o dobro da economia do País em 2019. Enquanto o setor econômico cresceu 1,1%, o turístico apresentou alta de 2,6% em relação a 2018. “Alcançamos muitas conquistas para o Turismo em 2019. Geramos 163% a mais de empregos em relação ao ano anterior e conseguimos a suspensão de vistos para alguns países, o que nos permitiu contribuir para que alguns recordes fossem quebrados, como a visitação ao Parque Nacional Iguaçu”, disse.

Com a pandemia, no entanto, o Ministério do Turismo iniciou a atuação para preservar as empresas e os empregos. “Encerramos essa primeira fase que chamamos de ‘sobrevivência’ com bons resultados, como o crédito do Fungetur e a MP 936. Agora o momento é de trabalhar para garantir uma retomada mais eficiente. O Mtur já tem grandes ações promocionais prontas incentivando o Turismo doméstico. Com essas iniciativas, vemos uma oportunidade a médio e longo prazo de reequilibrar a balança comercial do Turismo”, afirmou o Álvaro Antônio.

PERSPECTIVAS PARA O TURISMO NO PÓS-PANDEMIA

Além do selo “Turismo Responsável, Limpo e Seguro”, o ministro destacou a atuação junto às iniciativas privadas visando aprimorar o Turismo para o pós-pandemia. “Temos feito parcerias com a iniciativa privada para impulsionar a visitação aos nossos parques nacionais, estaduais e municipais. Também estamos trabalhando para a expansão do Turismo rodoviário por meio de concessões para a construção de terminais rodoviários de alta qualidade”, explicou.

Outra iniciativa do MTur é o Programa Revive, que promove a requalificação e o aproveitamento turístico de patrimônios culturais por meio de investimentos privados. “Já identificamos mais de 300 patrimônios históricos no Brasil que entram no radar do programa e já qualificamos pelo menos 12 deles, dos quais quatro estão sendo trabalhados como piloto”, ressaltou Álvaro Antônio.

A chegada do hub de inovação Wakalua ao Brasil também contribuirá para a retomada do Turismo. “Nós entendemos que tecnologia e inovação são fundamentais para o desenvolvimento do setor em todo o Brasil. Para nós, a solução para vários gargalos no Turismo brasileiro pode partir do Wakalua, que será instalado ainda este ano”, afirmou o ministro.

ATUAÇÃO COM O TRADE

Para fortalecer ainda mais o trade turístico, a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) tem oferecido suporte jurídico às empresas e a CNC tem disponibilizado diversas pesquisas estratégias que contribuem com as tomadas de decisão dos profissionais. “Eu acredito que estamos construindo uma relação saudável com o empresariado e que deve ser perene no pós-pandemia. Neste momento, ficou provado que uma andorinha só não faz verão. Juntos, nós vamos construir muito mais se estivermos unidos em prol de assuntos comuns”, afirmou Sampaio.

Para o diretor do Cetur, o pós-pandemia exigirá maior capacitação dos profissionais do setor para que a retomada aconteça de modo seguro e eficiente. “É importante que o empresariado reconheça o papel fundamental do braço Sesc-Senac neste momento de pandemia. O mercado vai precisar cada vez mais de profissionais bem formados, estruturados e ambientados em um novo Turismo”, ressaltou.

Clique aqui para assistir à live do Cetur na íntegra.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA