MTur anuncia plano de retomada com capacitações e TV Turismo

|

Divulgação
A coletiva foi realizada a partir do Museu da Inconfidência, em Ouro Preto (MG)
A coletiva foi realizada a partir do Museu da Inconfidência, em Ouro Preto (MG)
Hoje (3), o Ministério do Turismo realizou uma coletiva de imprensa online para abordar os investimentos da pasta na retomada do Turismo brasileiro. A coletiva foi liderada pelo secretário de Desenvolvimento e Competitividade do Ministério do Turismo, William França, e também contou com a participação do secretário de Turismo e Cultura de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, e o presidente do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Sérgio Gusmão.

William França foi o responsável por anunciar o Plano de Retomada do Turismo brasileiro, composto por quatro fases: Proteção, Retomada, Incentivo e Promoção. "Este plano está sendo desenvolvido há alguns meses e está focado em dois aspectos: segurança (financeira e sanitária) e a manutenção de empregos e renda. Em tudo o que fazemos, nos perguntamos quanto de renda vai gerar, quantos empregos serão mantidos", afirmou o secretário do MTur, que também disse que o plano está pautado em pesquisas que apontam para o novo perfil de viajantes, que buscará viagens rodoviárias, regionais, e par a destinos de natureza, principalmente. E, claro, mais exigentes em relação a protocolos de biossegurança.

PROTEÇÃO

A primeira fase do plano já tem medidas em funcionamento, segue em desenvolvimento e está focada na proteção do setor turístico, assim como sua geração de renda e empregos. A primeira medida visou a preservação dos postos de trabalho com a MP 936 que foi convertida na lei 14.020. Depois, o ministério procurou proteger os direitos do consumidor e dos empreendedores do Turismo e da Cultura com a MP 948 (convertida em lei 14.046), e assim acabou gerando a terceira iniciativa: a campanha Não Cancele, Remarque que alcançou mais de 67 milhões de pessoas. Por último, veio a disponibilização de linhas de crédito com a MP 963 que assegurou 5 bilhões para empreendimentos turísticos e foi aprovada esta semana pelo Senado.

RETOMADA

A segunda fase focada na retomada do setor está sendo realizada agora e já conta com o selo Turismo Responsável e o Fungetur. O primeiro é um selo promocional, gratuito e espontâneo para prestadores de serviços turísticos que cumpram os protocolos sanitários necessários. O próximo passo será oferecer ao turista um portal em que ele poderá consultar os estabelecimentos que já possuem o selo. Já são mais de 20 mil selos emitidos e a meta é chegar em 50 mil no verão.

Já o Fungetur corresponde a linha de crédito para as empresas do Cadastur por meio das 17 instituições financeiras credenciadas, que passarão a ser mais de 30 em breve. O objetivo é auxiliar o setor com capital de giro.

Entre as ações a serem lançadas como parte desta segunda fase, estão o Programa Qualifica + Turismo e a TV Turismo, ambos focados na capacitação do profissional do Turismo. O primeiro é um programa de qualificação dos profissionais do setor com cursos online focados na biossegurança neste primeiro momento. Já a TV Turismo será lançada no primeiro semestre de 2021 e funcionará nos moldes que é a TV Escola para a Educação, contando com vídeo aulas para o setor e seus profissionais.

A última iniciativa da fase de retomada é a Lei Aldir Blanc, que corresponde a destinação de R$ 3 bilhões para apoiar o setor cultural com o objetivo de ajudar financeiramente trabalhadores do setor com atividades suspensas, subsídios para a manutenção de espaços culturais e promoção de ações de fomento. Até o final deste mês, todas as unidades da federação já devem ter recebido os recursos.

INCENTIVO

Já para a terceira fase, de incentivo, o secretário William França anunciou as propostas do MTur que ainda serão discutidas junto às secretarias dos Estados para melhor definição de suas bases. Entre as propostas, estão o desenvolvimento do Turismo rodoviário no Brasil com nova regulamentação e produtos; elaboração de projeto para concessão de rodoviárias interestaduais, intermunicipais e urbanas; promoção da inovação no Turismo com foco na implementação de destinos inteligentes, com rastreamento dos Turistas para entender o novo perfil do viajante; revisão de legislação e regulamentação relacionadas à mobilidade e conectividade turística; estruturação do Turismo nos parques nacionais e estaduais; lançamento de portal de investimento para o Turismo; apresentação da 1ª rota gastronômica do País; lançamento de documento com destinos religiosos; apresentação para o desenvolvimento do Turismo rural no País; e plano de incentivo para práticas inovadoras no Turismo (Smart City e "Turismo sob controle").

Divulgação
Entre as propostas já sendo colocadas em prática, poderemos acompanhar no Abav Collab, evento híbrido que substituirá a Abav Expo este ano em função da pandemia. Começando com a celebração do Dia Mundial do Turismo no dia 27 de setembro junto a Organização Mundial do Turismo (OMT), marcando o início do Abav Collab. No dia 29 de setembro, durante o evento, também serão anunciados os finalistas e o vencedor do concurso de startups promovido pelo MTur junto a Wakalua e a OMT. E, durante todo o evento, cada Estado terá um estande virtual para apresentar seus produtos ao trade turístico. França também disse que detalhará mais o plano e as propostas acima durante o evento em seminários colaborativos.

PROMOÇÃO

Em uma quarta fase, voltada para a promoção turística, o MTur já planeja as seguintes ações: apresentação do calendário de campanhas a serem trabalhadas com foco na recuperação do Turismo, como o repasse de R$ 500 mil para cada uma das unidades federativas para promoção de seus atrativos (13,5 milhões no total); estabelecimento de parceria com a Embratur para realização de campanhas com foco na promoção do Turismo doméstico; e também um conjunto de ações de qualificação em biossegurança, inovação digital e promoção das 30 rotas estratégicas com foco nas férias de verão em parceria com o Sebrae Nacional.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA