Air Europa foca no corporativo e consolidação da marca no Brasil

|

Victor Fernandes
Gonzalo Romero, gerente geral da Air Europa no Brasil, em frente ao B787-9
Gonzalo Romero, gerente geral da Air Europa no Brasil, em frente ao B787-9
Nesta terça-feira (10), a Air Europa promoveu coletiva de imprensa para apresentar o B787-9, o avião que passou a realizar a rota São Paulo-Madri. Gonzalo Romero, gerente geral da aérea no Brasil, e João Pita, gerente de Negócios Aéreos da GRU Airport estavam presentes na conversa e revelaram estar felizes com as renovações, tanto da frota da companhia quanto do aeroporto em si.

“Estamos pensando no passageiro corporativo, ouvindo todos eles e suas necessidades”, afirmou Romero. Na classe executiva, o Dreamliner conta com seis assentos adicionais, configuração que permite a todos acessar o corredor, tela maior com 15 polegadas, janela eletrônica, iluminação diferenciada, wi-fi e refeição especial. A troca da aeronave faz parte de uma renovação da frota que durará até 2022. O B787-9 também tem como diferenciais a alta velocidade, que reduz o tempo de voo em até 40 minutos, e maior economia de combustível, emitindo menos CO2 na atmosfera.

Apesar do foco na classe business e passageiro corporativo, Romero afirma que os esforços e campanhas estão sendo aplicados igualmente para os passageiros a lazer, que ainda compreendem maior parcela de clientes da Air Europa. Cerca de apenas 30% dos passageiros da aérea viajam a trabalho, enquanto os demais a lazer. Na rota São Paulo-Madri, 65% dos passageiros são brasileiros e 35% europeus; e dentre aqueles que voam para a capital espanhola, cerca de 30% ficam no país, enquanto os demais fazem conexões para outras capitais do continente.

Hoje, a principal meta e desafio da Air Europa é consolidar a marca no Brasil. A aérea aumentou sua oferta de assentos em 13% com voos partindo do Nordeste e o novo B787-9, e agora espera manter a ocupação na casa dos 90%, assim como em 2019, mesmo com a maior oferta. Para João Pita, o momento desafiador que vivemos pede apostas como essa, que motivem os passageiros a voarem, mesmo com tantos empecilhos envolvidos no processo.

Victor Fernandes
João Pita (GRU Airport) e Gonzalo Romero (Air Europa)
João Pita (GRU Airport) e Gonzalo Romero (Air Europa)
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA