Comunicação será essencial no 'novo normal' das viagens corporativas

|

Diante da pandemia do novo coronavírus, muito se discute sobre como será o “novo normal”. Em algum momento, que não se sabe ao certo ainda quando, as viagens retornarão, assim como os eventos presenciais. No entanto, os gestores de viagens corporativas precisam se preparar para esse futuro incerto e, enquanto isso, trabalhar com o agora, revendo processos, políticas e programas.

Divulgação
Viviânne Martins e Patricia Thomas, da Academia de Viagens Corporativas, apresentaram a palestra com Jennifer Steinke, da PPD, além de Fernando Vasconcellos, da Kontik, como co-apresentador
Viviânne Martins e Patricia Thomas, da Academia de Viagens Corporativas, apresentaram a palestra com Jennifer Steinke, da PPD, além de Fernando Vasconcellos, da Kontik, como co-apresentador
Há 32 anos atuando no mercado, a líder global de Viagens da PPD Laboratories, Jennifer Steinke, contou em sua apresentação no segundo dia do 1º Festival Internacional de Viagens e Eventos Corporativos On-line, realizado pela Academia de Viagens Corporativas, que nunca havia visto algo do tipo acontecendo na indústria – nem mesmo os atentados de 11 de setembro.

“Há tantos fatores que não conhecemos e não podemos prever. Por isso temos de ser capazes de nos adaptar rápido às mudanças e focar no que, de fato, podemos controlar e melhorar essa experiência. Agora, temos que focar no lado positivo e olhar para essa crise como uma oportunidade de fazer as coisas diferentes, tanto com os fornecedores, quanto nós, como buyers”, diz Jennifer.

Com uma redução de 95% na aviação global, capacidade reduzida devido ao bloqueio dos assentos do meio, mais de 24 mil hotéis fechados sem aceitar reservas, a hora é de valorizar a parceria com os fornecedores. Saber como realmente fazer a diferença para a cadeia, mirando nos aspectos positivos.

Em uma pesquisa apresentada pela executiva, 65% dos viajantes entrevistados afirmaram que viajariam no próximo mês, caso as medidas de saúde e segurança estivessem garantidas, o que mostra um bom sentimento quanto ao retorno das viagens. No entanto, quanto a empresas de economia compartilhada, como Uber e Airbnb, os respondentes ainda se sentiriam inseguros, pois a limpeza e higiene ficaria por conta de pessoas e não grandes empresas, como é o caso de companhias aéreas e grandes hotéis.

COMUNICAÇÃO
“Há tantas coisas que precisamos trabalhar agora. Acho que o principal é nos comunicar e educar nossos viajantes. Divulgar infográficos, informar o que a empresa está fazendo, como será a retomada – com tempos na segurança do aeroporto e de embarques mais longos, por exemplo. Os viajantes têm de saber o que os espera neste novo normal."

Por isso, será muito importante ter uma comunicação transparente com os viajantes corporativos, principalmente pelo cenário volátil, com mudanças diárias e repentinas. A empresa precisará continuar comunicando seus funcionários para que eles saibam que estão seguros agora e quando os deslocamentos retornarem.


Confira aqui os próximos eventos virtuais do festival da Academia de Viagens, que tem apoio da R1, SAP Concur, GJP Hotels, Kontik e Paytrack, e que ocorrem nos próximos dias 2, 9 e 15 de junho. Inscrições podem ser feitas no site.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA