95% das empresas já estão realizando eventos virtuais; baixe pesquisa

|

Qual o futuro dos eventos e das viagens de incentivo? Como os gestores estão se preparando para a retomada e como estão atuando neste momento de pandemia? A terceira edição da série de lives PrimeTime, parceria da PANROTAS com a PrimeTour, trouxe o debate e uma pesquisa inédita com gestores das maiores empresas contratantes de eventos e viagens de incentivo do País.

Reprodução
Alexandre Castro (PrimeTour), Amanda Lahmann (Biolab), Marina Gouvêa de Souza (PrimeTour) e Roberta Nonis (Evento Único) debateram resultados da pesquisa na live PrimeTime
Alexandre Castro (PrimeTour), Amanda Lahmann (Biolab), Marina Gouvêa de Souza (PrimeTour) e Roberta Nonis (Evento Único) debateram resultados da pesquisa na live PrimeTime
Com os dados obtidos no levantamento, que foi realizado pela PrimeTour em conjunto com a Evento Único, é possível ter uma perspectiva 360° do futuro dos eventos, além de entender a importância do mercado Mice para a economia do Brasil e também mundial. Com o impacto em cascata que o setor sofreu, é preciso dar foco para o quanto a indústria movimenta e, assim, garantir a retomada.

PRINCIPAIS RESULTADOS
Realizada com profissionais de empresas de diferentes setores – sendo a maioria (38%) do farmacêutico –, a pesquisa revelou que 45% dos respondentes possuíam, antes da pandemia, um valor no budget para 2020 destinado a eventos acima dos R$ 5 milhões. Destes encontros, 77% eram voltados para clientes, como lançamentos de produtos ou serviços, relacionamento e promocionais, 75% convenções, 75% mini meetings, 75% treinamentos e 66% reuniões internas.

Eventos nacionais presenciais, pré-coronavírus, predominaram no estudo, com 90% dos entrevistados realizando neste formato. Apenas 11% organizavam de forma híbrida, realidade totalmente diferente hoje. O mesmo vale para os internacionais: 93% eram presenciais e 15% híbridos.

“Por que a maioria realizava eventos presenciais? Porque sempre deu certo. Todos esses recursos tecnológicos já existiam, mas era o encontro face to face que dava certo. Nós, brasileiros, somos um povo que gosta de estar junto, mas, agora, com essa realidade que é global, tivemos que repensar tudo”, afirma a CEO da Evento Único, Roberta Nonis.

Dos participantes da pesquisa, 95% já estão realizando eventos digitais ou híbridos como alternativa. No entanto, 77% deles possuem um domínio parcial sobre essa modalidade e 11% responderam não dominar. É aí que está uma enorme oportunidade para a cadeia e agências se especializarem para levar conhecimento e soluções completas aos seus clientes, assumindo um papel de consultoria.

Com a nova realidade do home office e de diversas atividades podendo ser realizadas de maneira virtual, 59% dos profissionais concordam que as mini meetings poderão migrar definitivamente para o ambiente digital, assim como as reuniões internas. Treinamentos, para 56% dos respondentes, também. Já convenções têm uma pequena chance, com somente 9% acreditando que serão realizadas de forma on-line.

RETOMADA PRESENCIAL
Perguntados sobre a volta da realização dos eventos nacionais presenciais, 42% acreditam que será a partir do primeiro trimestre de 2021. Para 17%, apenas quando houver a vacina, 17% ainda não sabem, 4% disseram a partir de agosto deste ano, 2% sugerem a partir de setembro e, 2%, no quarto trimestre de 2020.

Para viagens de incentivo dentro do Brasil, a maioria (36%) respondeu que não realiza viagens nacionais. Já 18% acreditam que elas poderão acontecer a partir do primeiro trimestre do ano que vem e, para 15%, somente quando a vacina estiver disponível.

PESQUISA COMPLETA
Clique aqui para conferir a pesquisa completa com todos os resultados obtidos sobre o futuro dos eventos em uma perspectiva 360°, realizada pela PrimeTour e Evento Único. A live teve ainda apoio da R1 e do WTC São Paulo.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA