Fidelidade do viajante corporativo está relacionada à experiência mobile

|


Dreamstime

Os millennials rapidamente se tornaram um grupo de consumidores que as empresas do mercado de viagens corporativas não podem mais ignorar. Isso porque eles representam a maior parcela de força de trabalho dos Estados Unidos, de acordo com recente pesquisa do Pew Research Center, e estão ditando as novas tendências deste mercado.

Estudos mostram, inclusive, que essa geração tem feito mais viagens a trabalho do que qualquer outra. Uma pesquisa conduzida pela MMGY Global revelou que, enquanto os millennials realizaram 7,4 viagens de negócios no ano passado, a geração X realizou 6,4 viagens e os baby boomers 6,3. E para eles isso ainda não é o bastante, já que muitos pretendem aumentar o número de viagens realizadas.

E não é novidade que a dependência dessa geração por serviços mobile está alimentando as mudanças promovidas pelas empresas no mercado de viagens corporativas, afinal, estas últimas têm consciência de que, ao não priorizarem as experiências móveis, correm o risco de perderem esse valioso segmento de jovens consumidores, que potencialmente oferecem décadas de lealdade, bem como seus colegas mais velhos, que estão cada vez mais antenados nas reservas via celular.

Os millennials praticamente já nasceram com dispositivos móveis na mão e gastam mais tempo em aplicativos de smartphones do que os adultos mais velhos, de acordo com um estudo da Nielsen. Eles já se acostumaram a realizar um número crescente de tarefas via celular, seja para solicitar um serviço de carro ou para pesquisar e reservar viagens.

Outro estudo, da Global Business Travel Association (GBTA), descobriu que os millennials são mais propensos do que os baby boomers e a geração X a fazer reservas de viagens e procurar itinerários ou informações sobre destinos via dispositivos móveis. O fato de utilizarem o celular para quase tudo o que fazem significa que cada vez mais eles esperam que as plataformas que usam para suas viagens de negócios correspondam às experiências geradas pelas plataformas de viagens voltadas para o consumidor.

Infelizmente a maioria das empresas de viagens corporativas ainda está trabalhando para obter sua estratégia móvel direita, e muitas nem sequer têm uma. Outro estudo divulgado pela GBTA, juntamente com a Carlson Family Foundation, revelou que quase 70% dos gestores de viagens afirmou que suas políticas de viagens não incluem uma estratégia móvel.

"Aqueles que abraçam o celular e se concentram em oferecer experiências ininterruptas durante a viagem têm a oportunidade de mostrar aos viajantes o valor de seu programa de viagens corporativas", ressalta o diretor do grupo de viagens e despesas da Deem (provedor de tecnologia móvel e de nuvem para a indústria de viagens corporativas), Todd Kaiser.

Ao oferecer serviços para dispositivos móveis que não só atendam, como também ultrapassem as expectativas já altas dos viajantes corporativos millennials, as empresas de viagens corporativas não só têm chances de permanecerem mais competitivas, como também de conseguirem ganhar fidelidade dessa geração a longo prazo.




*Fonte: Skift

conteúdo original: http://bit.ly/2qlb3FS
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA